sicnot

Perfil

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Parlamento de Espanha inicia hoje 11ª legislatura

O Parlamento de Espanha, o mais fragmentado desde a instauração da democracia, reúne-se hoje pela primeira vez desde as eleições de 20 de dezembro, com os deputados a votarem o presidente e os oito elementos da Mesa.

© Juan Medina / Reuters

O presidente do Congresso dos Deputados (equivalente ao presidente da Assembleia da República em Portugal) dirige os trabalhos no hemiciclo e a sua eleição marca o arranque da 11ª legislatura em Espanha (desde a transição democrática).

Ao contrário de todas as anteriores legislaturas em Espanha, hoje deverá ser eleito um presidente do Congresso, proveniente não da força política mais votada a 20 de dezembro (o PP, de Mariano Rajoy, 123 deputados), mas sim da segunda força, o PSOE de Pedro Sánchez.

O PSOE (90 deputados) chegou a acordo com o Ciudadanos (centro-direita, 40 deputados) para que o ex-presidente regional do País Basco, Patxi Lopes, possa ser eleito. O acordo fez com que o PP tenha desistido de apresentar um nome a votação (uma vez que não terá recolhido apoios entre as restantes forças).

A votação para o presidente do Congresso processa-se da seguinte forma: os deputados votam com boletins em urna e, na primeira votação, tem de haver maioria absoluta. Caso não exista, os dois nomes mais votados passam a uma segunda votação, desta vez por maioria simples.

Os 350 deputados escolhem depois os restantes membros da Mesa do Congresso: quatro vice-presidentes e quatro secretários. A votação para estes elementos (na qual os deputados não se podem abster) costuma respeitar a proporcionalidade dos resultados das eleições.

Assim, o PP deverá ter três elementos na Mesa (dois vices e um secretário), o PSOE outro vice (além do presidente), e dois elementos quer para o Podemos quer para o Ciudadanos.

O acordo para o presidente do Congresso (PSOE e Ciudadanos) representa também o primeiro afastamento do Podemos de uma eventual solução final de governo. O partido de Pablo Iglesias (42 deputados mais 27 de três formações regionais "irmãs") queria formar quatro grupos parlamentares (Podemos, En Comú Podem, Compromís e En Marea), mas as restantes forças bloquearam essa via.

Pablo Iglesias, que será fundamental para um eventual acordo de esquerda pretendido pelo PSOE (Pedro Sánchez já disse que quer seguir o exemplo de Portugal), comentou na terça-feira o acordo entre os socialistas e o Ciudadanos (com a concordância do PP). "Os três do 'bunker' já começam a cavalgar", escreveu Iglesias no Twitter.

A sessão constitutiva do Parlamento espanhol também servirá para os deputados prestarem o tradicional juramento. Várias formações são assumidamente independentistas (os catalães Esquerra Republicana Catalana e a Democràcia i Libertat) e outras defendem um referendo sobre o assunto. Assim, as fórmulas com que alguns deputados vão prestar juramento (incluindo ou não as habituais referências ao Rei e à Constituição) poderão gerar polémica.

Na terça-feira, o novo presidente regional catalão, Carles Puigdemont, assumiu funções, jurando fidelidade ao povo catalão e ao Parlamento regional, mas não ao Rei nem à Constituição espanhola.

A sessão no Parlamento espanhol começa às 10:00 (menos uma hora em Lisboa) e deverá terminar às 16:00.

Lusa

  • Rajoy insiste no acordo entre PSOE e Ciudadanos
    1:10

    Mundo

    O primeiro-ministro de Espanha insiste num acordo de governo com o PSOE e o Ciudadanos, para mostrar que existe estabilidade política no país. Sobre as eleições na Catalunha, Mariano Rajoy preferia que Artur Mas pusesse fim à luta pela independência da região, mas na impossibilidade de isso acontecer, defende a realização de novas eleições.

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.

  • O edifício mais longo do mundo

    Mundo

    Se pensa que já viu tudo em relação aos edifícios mais longos e complexos do mundo, pense duas vezes. O edifício mais longo do mundo pode estar prestes a chegar e promete fazer de Nova Iorque uma cidade ainda mais atrativa.