sicnot

Perfil

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Filipe VI de Espanha consulta partidos a partir de terça-feira

O rei de Espanha, Filipe VI, inicia na próxima terça-feira a ronda de consultas com 14 representantes de partidos políticos com assento no Congresso dos Deputados, para em seguida apresentar um candidato a presidente do governo.

Segundo fontes parlamentares, o rei começa por se reunir com o deputado da Nuevas Canarias, Pedro Quevedo, para terminar dois dias depois, quinta-feira, com o líder do partido mais votado, Mariano Rajoy do PP (Partido Popular, de direita).

Dois partidos nacionalistas e independentistas declinaram o encontro com o rei, o ERC (Esquerda Republicana da Catalunha) e o EH-Bildu (País Basco).

Depois da ronda de conversações, Filipe VI irá convocar a presidente do Congresso, Ana Pastor, para a informar do resultado das consultas.

A Constituição espanhola não prevê um prazo para Filipe VI apresentar a sua proposta de candidato a presidente do executivo, mas vários dirigentes políticos têm indicado que o processo deve ser rápido, visto que o país tem um governo de gestão desde o início do ano.

Mariano Rajoy, líder do PP e presidente do governo de gestão, afirmou segunda-feira que o novo executivo pode ser investido na primeira semana de agosto, se houver "ao menos um mínimo de estabilidade" e os partidos atuarem "com certa lealdade".

"Eu quero governar e peço que me deixem governar e que não haja um bloqueio", disse Mariano Rajoy, em Madrid, depois da eleição de Ana Pastor como presidente do Congresso dos Deputados.

O líder do PP ainda acredita ser possível que o novo Governo seja investido em 02 de agosto, para que seja votado no Congresso de Deputados a 03 de agosto e, no caso de não conseguir a maioria absoluta, haja uma segunda votação dois dias depois.

O Ciudadanos (centro) é o único partido que, até agora, admitiu abster-se para deixar passar um Governo minoritário do PP.

O PP foi o partido mais votado nas eleições de 26 de junho último, com 137 deputados, mas longe dos 176 mandatos que dão a maioria absoluta no congresso espanhol.

O PSOE ficou em segundo lugar com 85 lugares na assembleia, enquanto a aliança de esquerda Unidos Podemos (uma aliança entre partidos de extrema esquerda que inclui o Podemos) ficou em terceiro e elegeu 71 deputados, com o Ciudadanos a conseguir 32 assentos.

Lusa