sicnot

Perfil

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Rajoy aceita condições dos Ciudadanos e pede data de investidura

© Javier Barbancho / Reuters

O presidente do governo espanhol em funções, Mariano Rajoy, aceitou as condições impostas pelo partido Ciudadanos e vai falar com a presidente do Congresso, Ana Pastor, para que esta quinta-feira mesmo defina uma data para a investidura.

A informação foi avançada pelo líder do partido de centro-direita, Albert Rivera, em conferência de imprensa após o final da reunião com Rajoy no Congresso, durante a qual indicou que os porta-vozes do Partido Popular (PP, direita) e do Ciudadanos (centro-direita) assinaram o pacto anticorrupção para desbloquear a situação política, o qual contempla as seis medidas apresentadas por Rivera para o início das negociações para a investidura.

O líder do Ciudadanos assinalou que Rajoy vai pedir à presidente do Congresso que defina hoje uma data para a sessão de investidura.

"Hoje demos um passo que qualificá-lo-ia de decisivo para formar governo e para que não se repitam eleições", afirmou, por seu turno, Rajoy, manifestando abertura relativamente à data da investidura que Ana Pastor considere "oportuna e conveniente".

Após afirmar que as equipas negociadoras do PP e dos Ciudadanos para iniciar as conversações com vista à investidura vão ser nomeadas já na sexta-feira, o líder do PP insistiu: "Hoje estou na disposição de ir à sessão de investidura".

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão