sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Trump acusa Hillary Clinton de cumplicidade com as infidelidades do marido

O provável candidato republicano às eleições presidenciais norte-americanas Donald Trump lançou, este fim de semana, uma nova polémica, ao acusar a rival democrata Hillary Clinton de ter sido "cúmplice" das infidelidades conjugais do seu marido.

© Chris Tilley / Reuters

A candidata à nomeação presidencial democrata Hillary Clinton é casada com o ex-Presidente dos Estados Unidos Bill Clinton.

Numa entrevista, hoje transmitida pelo canal de televisão norte-americano ABC, o multibilionário justificou que tais afirmações "fazem parte do jogo", a partir do momento em que o casal Clinton aparece junto em ações de campanha pelo país.

"Ela é casada com um homem que foi o pior agressor de mulheres na história da política. Ela é casada com um homem que fez sofrer muitas mulheres", afirmou o empresário.

"E Hillary foi cúmplice e tratou essas mulheres de forma terrível", disse o candidato, prosseguindo que algumas dessas mulheres ficaram devastadas, não pelo comportamento de Bill Clinton, mas pela forma como foram tratadas pela ex-primeira-dama.

O magnata do imobiliário já tinha lançado acusações similares durante um encontro na sexta-feira à noite, no estado de Oregon.

Hillary Clinton "foi uma cúmplice extremamente maliciosa" das ligações extraconjugais de Bill Clinton, referiu, na altura, Donald Trump.

Segundo a imprensa internacional, estas afirmações parecem encaixar numa nova estratégia de Trump para reconquistar o eleitorado feminino, depois de ter feito várias declarações polémicas sobre as mulheres: associar Hillary Clinton a Bill Clinton e apresentar a candidata do Partido Democrata como uma pessoa insensível ao sofrimento das mulheres.

Após uma importante vitória, na terça-feira, no estado do Indiana, e da desistência do senador Ted Cruz e do governador John Kasich, Donald Trump ficou como o único candidato à nomeação republicana para as eleições presidenciais dos Estados Unidos, agendadas para 08 de novembro deste ano.

A convenção nacional do Partido Republicano, que deverá confirmar a indigitação de Trump, realiza-se em julho, em Cleveland, no estado do Ohio.

Perante a provável nomeação de Trump como o candidato republicano à Casa Branca, o multibilionário terá acesso a alguns dos dossiês secretos dos Estados Unidos, como é habitual durante a campanha eleitoral para as eleições gerais.

Mas, tendo em conta o temperamento tempestuoso do candidato que nunca exerceu qualquer cargo político, a situação parece estar a suscitar algumas dúvidas.

A Casa Branca confirmou esta semana que os serviços de informações norte-americanos vão entregar um relatório classificado ao empresário, depois de o Partido Republicano oficializar a sua indigitação na convenção.

Este relatório é entregue desde 1952 aos candidatos presidenciais dos dois principais partidos.

O porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, foi esta semana questionado sobre a eventual preocupação do Presidente Barack Obama, com o facto de Trump ir receber informações classificadas.

"Essas são avaliações que têm de ser feitas pelos serviços de informações, e o Presidente tem plena confiança na capacidade dos nossos profissionais", disse o porta-voz.

O diretor dos serviços de informações dos EUA, James Clapper, afirmou há alguns dias que a administração de Obama pretendia manter a prática de informar os candidatos presidenciais dos dois principais partidos sobre alguns dos assuntos mais secretos do país.

"Já estabelecemos um plano para informar os candidatos quando forem nomeados, e certamente depois de novembro, quando o presidente eleito for conhecido, a informação será mais intensa. Temos uma equipa para fazer isso, e já foi selecionado quem vai liderar o processo, e não foi escolhido a partir de um ponto de vista político", explicou Clapper.

Lusa

  • "Há uma grande diferença em relação à anterior liderança do PSD"
    14:29

    País

    O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, esteve esta quarta-feira na Edição da Noite da SIC Notícias. As novas relações com o PSD e a reprogramação do Portugal 2020 foram alguns dos temas de conversa. Pedro Marques defende que existe "uma grande diferença" entre as lideranças de Passos Coelho e Rui Rio no PSD.

    Entrevista SIC Notícias

  • Dia de homenagens e muito futebol para Marcelo em São Tomé
    3:01

    País

    No segundo dia da visita de Estado a São Tomé e Príncipe, o Presidente da República prestou homenagem às vítimas do massacre de Batepá, em 1953. Marcelo Rebelo de Sousa não pediu desculpa pela história, mas lembrou que é preciso assumir as coisas menos boas do passado. O dia terminou com o Presidente a mostrar que ainda está em forma.

    Enviados SIC

  • Patinadora enfrenta "pesadelo" nos Olímpicos

    Desporto

    A patinadora Gabriella Papadakis enfrentou na segunda-feira um dos "piores pesadelos" da sua vida, durante a estreia nos Jogos Olímpicos de Inverno, em Pyeongchang, na Coreia do Sul. Durante a apresentação, a parte de cima do vestido da francesa saiu do lugar e revelou parte do seu seio. Mas este não foi o único caso de incidentes com figurinos. Também a sul-coreana Yura Min quase ficou despida durante a sua apresentação.

    SIC

  • Casal mantinha filhos trancados sem comida

    Mundo

    Se pensava que só existia uma casa dos horrores, a da família Turpin, desengane-se. A polícia de Tucson, no estado norte-americano do Arizona, deteve na terça-feira um casal que mantinha os quatro filhos adotivos trancados em quartos separados.

    SIC

  • Pigcasso, a porca pintora que tem uma galeria de arte

    Mundo

    O nome sugere o talento da artista que vive na Cidade do Cabo, na África do Sul. Pigcasso estava prestes a morrer, quando foi resgatada por uma ativista que a ajudou a enveredar pelo caminho da pintura. Desde pequena começou a pegar em pincéis e agora é o primeiro animal do mundo com uma galeria de arte, onde já lançou a sua primeira exposição intitulada 'Oink!'.