sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Trump acusa Hillary Clinton de cumplicidade com as infidelidades do marido

O provável candidato republicano às eleições presidenciais norte-americanas Donald Trump lançou, este fim de semana, uma nova polémica, ao acusar a rival democrata Hillary Clinton de ter sido "cúmplice" das infidelidades conjugais do seu marido.

© Chris Tilley / Reuters

A candidata à nomeação presidencial democrata Hillary Clinton é casada com o ex-Presidente dos Estados Unidos Bill Clinton.

Numa entrevista, hoje transmitida pelo canal de televisão norte-americano ABC, o multibilionário justificou que tais afirmações "fazem parte do jogo", a partir do momento em que o casal Clinton aparece junto em ações de campanha pelo país.

"Ela é casada com um homem que foi o pior agressor de mulheres na história da política. Ela é casada com um homem que fez sofrer muitas mulheres", afirmou o empresário.

"E Hillary foi cúmplice e tratou essas mulheres de forma terrível", disse o candidato, prosseguindo que algumas dessas mulheres ficaram devastadas, não pelo comportamento de Bill Clinton, mas pela forma como foram tratadas pela ex-primeira-dama.

O magnata do imobiliário já tinha lançado acusações similares durante um encontro na sexta-feira à noite, no estado de Oregon.

Hillary Clinton "foi uma cúmplice extremamente maliciosa" das ligações extraconjugais de Bill Clinton, referiu, na altura, Donald Trump.

Segundo a imprensa internacional, estas afirmações parecem encaixar numa nova estratégia de Trump para reconquistar o eleitorado feminino, depois de ter feito várias declarações polémicas sobre as mulheres: associar Hillary Clinton a Bill Clinton e apresentar a candidata do Partido Democrata como uma pessoa insensível ao sofrimento das mulheres.

Após uma importante vitória, na terça-feira, no estado do Indiana, e da desistência do senador Ted Cruz e do governador John Kasich, Donald Trump ficou como o único candidato à nomeação republicana para as eleições presidenciais dos Estados Unidos, agendadas para 08 de novembro deste ano.

A convenção nacional do Partido Republicano, que deverá confirmar a indigitação de Trump, realiza-se em julho, em Cleveland, no estado do Ohio.

Perante a provável nomeação de Trump como o candidato republicano à Casa Branca, o multibilionário terá acesso a alguns dos dossiês secretos dos Estados Unidos, como é habitual durante a campanha eleitoral para as eleições gerais.

Mas, tendo em conta o temperamento tempestuoso do candidato que nunca exerceu qualquer cargo político, a situação parece estar a suscitar algumas dúvidas.

A Casa Branca confirmou esta semana que os serviços de informações norte-americanos vão entregar um relatório classificado ao empresário, depois de o Partido Republicano oficializar a sua indigitação na convenção.

Este relatório é entregue desde 1952 aos candidatos presidenciais dos dois principais partidos.

O porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, foi esta semana questionado sobre a eventual preocupação do Presidente Barack Obama, com o facto de Trump ir receber informações classificadas.

"Essas são avaliações que têm de ser feitas pelos serviços de informações, e o Presidente tem plena confiança na capacidade dos nossos profissionais", disse o porta-voz.

O diretor dos serviços de informações dos EUA, James Clapper, afirmou há alguns dias que a administração de Obama pretendia manter a prática de informar os candidatos presidenciais dos dois principais partidos sobre alguns dos assuntos mais secretos do país.

"Já estabelecemos um plano para informar os candidatos quando forem nomeados, e certamente depois de novembro, quando o presidente eleito for conhecido, a informação será mais intensa. Temos uma equipa para fazer isso, e já foi selecionado quem vai liderar o processo, e não foi escolhido a partir de um ponto de vista político", explicou Clapper.

Lusa

  • As alterações na carta de condução que ajudam a poupar
    6:16
  • Obama diz que não fica em silêncio se os valores do país forem ameaçados
    2:26
  • CIA desvenda segredos de quase 50 anos de História

    Mundo

    A CIA publicou online quase 12 milhões de documentos confidenciais. Basta uma ligação à Internet para navegar por entre 50 anos de relatórios outrora secretos. Entre os milhões de páginas, estão documentos sobre um eventual assassínio de Fidel Castro, detalhes sobre os crimes de guerra nazis, relatórios sobre avistamentos de OVNI e um estudo sobre telepatia denominado "Projeto Star Gate".

  • Nevão provocou corte de energia no centro dos EUA
    1:37

    Mundo

    Uma tempestade de neve no centro dos Estados Unidos da América provocou cortes no abastecimento de eletricidade, atrasos em voos e dificuldades na circulação rodoviária. Em Espanha, a descida das temperaturas levou à emissão de avisos em 30 províncias de norte a sul do país e deixou 27.700 alunos sem aulas em Valência.

  • Cadela sobrevive após engolir faca de cozinha

    Mundo

    Na Escócia, uma história de sobrevivência, no mínimo, bicuda. Uma cadela engoliu uma faca de cozinha com mais de 20 centímetros, manteve-a dentro de si durante algumas semanas mas sobreviveu, depois de ser operada de urgência..