sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Britânico preso em comício de Trump acusado de crime por posse de arma

O cidadão britânico que foi preso por se ter tentado apoderar da arma de um polícia num comício de Donald Trump foi acusado de crimes relacionados com armas, na quarta-feira, indicaram as autoridades.

Michael Sandford, 20 anos, foi acusado de ser um estrangeiro ilegal na posse de uma arma de fogo e de impedir e perturbar a ordem, disse o Ministério Público de Las Vegas.

Michael Sandford, 20 anos, foi acusado de ser um estrangeiro ilegal na posse de uma arma de fogo e de impedir e perturbar a ordem, disse o Ministério Público de Las Vegas.

© David Becker / Reuters

Michael Sandford, 20 anos, vai acusado de ser um estrangeiro ilegal na posse de uma arma de fogo e de impedir e perturbar a ordem, disse o Ministério Público de Las Vegas, em comunicado.

Sandford, que estava nos Estados Unidos ilegalmente, tentou tirar a arma a um agente num comício em Las Vegas, numa alegada tentativa de assassinar o candidato oficioso do Partido Republicano às eleições presidenciais, durante um comício, a 18 de junho, tendo sido rapidamente imobilizado e retirado do evento.

De acordo com a queixa apresentada num tribunal federal em Nevada, Michael Sandford disse a um agente dos Serviços Secretos, após ser detido, que se tinha deslocado da Califórnia a Las Vegas "para matar Trump" e que no dia anterior tinha ido a um campo de tiro para aprender a disparar, já que nunca o tinha feito antes.

Contudo, a acusação não o indicia por nenhum tipo de crime relacionado com eventual conspiração para matar o magnata.

O jovem britânico arrisca até dez anos de prisão e uma multa de até 250 mil dólares por cada uma das duas acusações.

Sandford, que ficou detido sem direito a fiança, com o Ministério Público a considerá-lo perigoso e com risco de fuga, sofre nomeadamente da Síndrome de Asperger, e os seus pais advertiram as autoridades norte-americanas, segundo os meios de comunicação social britânicos.

Sandford não estava interessado na política e nem sequer seria capaz de dizer o nome do Presidente dos Estados Unidos, disse o seu pai, Paul Davey, ao Portsmouth News.

"Ele nunca mostrou tendências violentas antes, nunca foi uma má pessoa, é um bom miúdo, e literalmente não faria mal a uma mosca -- ele costumava dizer-nos para não usar repelente porque não queria que os mosquitos morressem", disse ao jornal.

Sandford deverá ser indiciado formalmente na próxima semana.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.