sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Trump promete reconhecer Jerusalém como capital "indivisa" de Israel

O candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, prometeu reconhecer Jerusalém como a capital "indivisa" de Israel se for eleito Presidente dos EUA em novembro, num encontro com o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu.

"Trump reconheceu que Jerusalém tem sido a eterna capital do povo judeu há mais de três mil anos e que os Estados Unidos, sob a administração Trump, vão finalmente aceitar o mandato de longa data do Congresso para reconhecer Jerusalém como a capital indivisa do Estado de Israel", indicou a sua campanha em comunicado.

Israel apoderou-se de Jerusalém oriental na Guerra dos Seis Dias, em 1967, e mais tarde anexou a área maioritariamente árabe, declarando a totalidade da cidade como a capital unificada do país, uma ação nunca reconhecida pela comunidade internacional.

Os Estados Unidos -- e a maioria dos estados-membros da ONU -- não reconhecem a anexação, considerando o estatuto final de Jerusalém um assunto-chave que tem de ser resolvido através de negociações de paz com os palestinianos.

O Congresso dos Estados Unidos aprovou uma lei em outubro de 1995 apelando ao reconhecimento de uma Jerusalém indivisa como a capital de Israel e para autorizar o financiamento da transferência da embaixada norte-americana de Telavive para Jerusalém.

Contudo, nenhum Presidente dos Estados Unidos implementou a lei, interpretando-a como uma violação da autoridade do poder executivo sobre política externa.

O gabinete de Netanyahu também divulgou um comunicado sobre o encontro de uma hora, sem fazer referência, porém, à promessa de Trump relativamente a Israel.

"O primeiro-ministro Netanyahu discutiu com o senhor Trump assuntos relacionados com a segurança de Israel e os seus esforços para alcançar a estabilidade e a paz no Médio Oriente", indica a nota.

O comunicado de Trump diz que prometeu a Netanyahu que, caso seja eleito, os Estados Unidos vão presentear Israel "com extraordinária cooperação estratégica, tecnológica e militar".

Trump "reconheceu Israel como um parceiro vital dos Estados Unidos na guerra global contra o terrorismo islâmico radical", sublinhou a sua campanha, indicando que os dois abordaram ainda o acordo nuclear com o Irão, a luta contra o grupo extremista Estado Islâmico e outras preocupações no domínio da segurança regional.

A campanha de Trump também indicou que os dois discutiram a experiência de Israel com a sua cerca de segurança usada para a separar da Cisjordânia.

Trump fez da ideia de construir um muro ao longo da fronteira dos Estados Unidos com o México uma das principais promessas de campanha.

Lusa

  • A proposta dos partidos para a redução da dívida
    1:55

    Economia

    O PS e o Bloco de Esquerda querem mais 45 anos para pagar as dívidas à UE e juros mais baixos. As medidas fazem parte da proposta para a redução da dívida pública. No relatório que será enviado ao Governo, não é pedido perdão da dívida como os partidos da esquerda chegaram a defender.

  • Ministros de Governos de Sócrates ouvidos pelo Ministério Público
    1:54
  • Suspeito de atropelamento mortal fala de acidente 
    2:00
  • "Têm um verdadeiro amigo na Casa Branca"

    Mundo

    O Presidente norte-americano reafirmou esta sexta-feira o apoio ao direito de porte de armas no país, sublinhando, numa convenção daquele 'lobby', que "o ataque de oito anos às liberdades consagradas no Artigo 2.º [da Constituição]" terminou.

  • A história de Macron e Brigitte Trogneux, 25 anos mais velha
    1:25

    Eleições França 2017

    A segunda volta das eleições francesas acontece já no próximo dia 7 de maio. Caso Emmanuel Macron seja eleito, o país terá como primeira-dama uma mulher 25 anos mais velha do que o Presidente. Brigitte Trogneux tem 64 anos e Macron 39, conheceram-se no liceu privado de jesuítas, em Amiens. Brigitte era a professora e Macron o aluno. Conheça a história do casal. 

  • Autoridades garantem ter evitado novo ataque terrorista em Londres
    0:59

    Mundo

    A polícia britânica garante que evitou um novo atentado em Londres. Mulher baleada faz parte das oito pessoas que foram detidas numa operação antiterrorista na capital britânica e no sul de Inglaterra. A operação realizou-se após a detenção de um homem com três facas, nas imediações do Parlamento britânico.

  • Presidente da Macedónia convocou reunião de emergência

    Mundo

    O Presidente da Macedónia, Gjorge Ivanov, convocou esta sexta-feira uma reunião de emergência com líderes políticos, após manifestantes, maioritariamente apoiantes da maioria conservadora, invadirem o Parlamento e atacarem deputados da oposição, fazendo 77 feridos.

  • Polícia espanhola divulga imagens de operação anti-jihadista

    Mundo

    A polícia espanhola divulgou esta sexta-feira novas imagens da operação anti-jihadista levada a cabo na terça-feira em Barcelona. Sabe-se agora que dois dos nove suspeitos detidos podem estar relacionados com a célula terrorista de Bruxelas, responsável pelos ataques no Aeroporto de Zaventem e no metro da capital belga.

  • Menina que nasceu com três pernas já corre

    Mundo

    Uma criança do Bangladesh que cresceu com três pernas vai regressar a casa, depois de uma viagem até à Austrália, onde foi operada para retirar o membro a mais. Como resultado de um gémeo que não se formou por completo, a criança de três anos nasceu com uma terceira perna na pélvis. Alguns meses após a cirurgia, feita em novembro, a menina já corre.