sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Debate entre Clinton e Trump bateu recorde de audiência com 84 milhões de espectadores

© POOL New / Reuters

O debate para as presidenciais norte-americanas entre Hillary Clinton e Donald Trump foi visto por 84 milhões de pessoas só nos Estados Unidos. O anterior recorde tinha 36 anos, quando 80,6 milhões de pessoas viram o frente a frente entre Jimmy Carter e Ronald Reagan.

O número 84 milhões tem apenas em conta os telespectadores que assistiram ao programa nos 13 canais de televisão norte-americanos que fizeram a transmissão em direto. Há muitos pelo mundo fora que não são contabilizados bem como aqueles que viram através de sites de streaming.

Segundo os dados da empresa de audiências Nielsen, os espectadores mantiveram a televisão ligada durante todos os 98 minutos do debate.

Clinton e Trump vão ainda encontrar-se mais duas vezes até às eleições a 8 de novembro - a 9 e a 19 de outubro.

O recorde de espectadores da televisão norte-americana pertence à final de futebol NFL's Super Bowl de 2015, quando 114,4 milhões de pessoas assistiram ao encontro entre New England e Seattle.

  • "A nossa lei tem demasiados buracos"
    0:44

    País

    Rui Cardoso acusa a classe política de não querer resolver os problemas da corrupção em Portugal. Entrevistado na Edição da Noite da SIC Notícias o magistrado do Ministério Público considera que ainda há um longo caminho a percorrer no combate à corrupção.

  • Beyoncé e a irmã caem e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.