sicnot

Perfil

Escândalo Renault

Escândalo Renault

Escândalo Renault

Renault promete "plano técnico" para cortar níveis de emissões dos seus carros

O fabricante de automóveis Renault prometeu hoje apresentar um "plano técnico" nas próximas semanas para cortar as emissões poluentes dos seus veículos.

reuters

Na quinta-feira, uma comissão nomeada pelo Governo francês disse que os carros a gasóleo da Renault falharam nos testes de poluição, ao mesmo tempo que as autoridades fizeram buscas nas suas instalações, aumentando os receios de que a empresa poderia estar envolvida num escândalo de emissões poluentes semelhante ao da alemã Volkswagen.

A comissão revelou que, em resultados de testes realizados em veículos franceses e estrangeiros, tinha encontrado emissões de dióxido de carbono e dióxido de nitrogénio demasiado elevadas em carros da marca Renault.

"Estamos a trabalhar num plano técnico que deverá permitir-nos reduzir as emissões", disse o diretor de vendas da Renault, Thierry Koskas, durante uma apresentação das vendas do grupo.

"O plano está a ser elaborado pela nossa equipa de engenharia e será apresentado nas próximas semanas", acrescentou.

As vendas unitárias da Renault cresceram 3,3% em 2015 relativamente ao ano anterior para 2,8 milhões de unidades em todo o mundo.

"A Renault não fez batota", disse Koskas, referindo-se às questões levantadas na semana passada sobre a forma como os níveis de emissões poderiam ser tão diferentes entre as condições de teste e as condições reais na estrada.

"Quero enfatizar isto com muita firmeza", disse, adiantando que a Renault "não está a usar qualquer 'software' ou outros métodos [fraudulentos] ".

"Em condições de teste, nós respeitamos as normas de emissões", acrescentou.

"Mas quando os veículos já não estão em condições de teste, há, de facto, uma diferença entre as condições reais e condições de controlo, isso é um facto", afirmou Koskas.

O responsável da marca francesa não deu detalhes sobre o que o "plano técnico" pode implicar, mas disse que a Renault iria encontrar-se hoje com a comissão nomeada pelo Governo para "discussões técnicas".

As ações da Renault e de outras empresas do setor automóvel têm derrapado em bolsa com rumores de que o escândalo das emissões poluentes se possa espalhar além da Volkswagen.

Os títulos da Renault caíram mais de 20% durante a sessão de quinta-feira depois de os sindicatos relatarem que as autoridades antifraude francesas tinham invadido vários locais da empresa, possivelmente procurando provas de fraude em emissões dos carros a gasóleo.

Hoje, ao final da manhã, as ações estavam a cair 3% para 72,88 euros, tendo a Renault perdido em capitalização bolsista cerca de três mil milhões de euros nas últimas três sessões.

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.