sicnot

Perfil

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volkswagen

Volkswagen paga 4.400 euros a cada cliente lesado nos EUA

O grupo automóvel alemão Volkswagen chegou hoje a acordo com as autoridades norte-americanas para indemnizar com 4.400 euros cada cliente com veículos com filtros de emissões manipulados, informa hoje o diário alemão "Die Welt".

O grupo alemão terá que chamar às oficinas cerca de 11 milhões de carros afetados pelo escândalo das emissões fraudulentas.

O grupo alemão terá que chamar às oficinas cerca de 11 milhões de carros afetados pelo escândalo das emissões fraudulentas.

© Steve Marcus / Reuters

A Volkswagen tem de apresentar hoje perante um tribunal norte-americano as propostas concretas para retirar de circulação os veículos com motores a gasóleo adulterados se quiser evitar um julgamento este verão nos Estados Unidos, país no qual foram afetados quase 600.000 carros.

A reunião preliminar vai realizar-se hoje no Tribunal do Distrito do Norte da Califórnia, em São Francisco, pelas 08:00 locais (16:00 em Lisboa), presidida pelo juiz Charles Breyer.

A Volkswagen irá assumir os custos do reequipamento dos veículos afetados, acrescenta "Die Welt", que cita fontes financeiras.

Até agora, a Volkswagen colocou de lado cerca de 6.700 milhões de euros para fazer frente aos custos da manipulação dos programas informáticos que medem as emissões de gases, mas quer aumentar a quantia significativamente, segundo fontes conhecedoras da situação citadas pelo diário alemão.

A Volkswagen viu-se envolvida nos últimos meses num escândalo depois de o fabricante alemão admitir ter instalado em 11 milhões de carros um 'software' capaz de falsificar os valores das emissões poluentes dos motores a diesel.

A Volkswagen arrisca-se agora a pagar milhões de euros em indemnizações e multas.

Em Portugal, os veículos afetados pela fraude cometida pelo grupo Volkswagen são 125.491, segundo o relatório preliminar apresentado pelo grupo de trabalho criado pelo anterior governo de Pedro Passos Coelho.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.