sicnot

Perfil

Euro 2016

Euro 2016

Euro 2016

Polícias portugueses participam no Euro 2016 armados pela primeira vez

Os polícias da delegação portuguesa para o Euro 2016 participam armados pela primeira vez num evento desportivo internacional, numa decisão das autoridades francesas devido à ameaça terrorista, disse o responsável pela missão.

"Pela primeira vez, neste tipo de eventos, as delegações vão armadas, é uma novidade. As autoridades francesas optaram por permitir que as delegações de polícias internacionais levem os seus armamentos e equipamentos que usam nos países de origem", afirmou à agência Lusa o superintendente Luís Simões, que chefia a delegação policial portuguesa para o Euro 2016, que vai decorrer em França.

Luís Simões, diretor do Departamento de Operações da PSP, adiantou que esta decisão das autoridades francesas "terá certamente a ver com a ameaça terrorista e com o contexto internacional que se vive".

A delegação, composto por oito elementos (seis da PSP e dois da GNR), vai ter uma organização e funções idênticas às das delegações policiais que estiveram presentes nos últimos campeonatos de futebol da Europa e do Mundo, sendo a utilização de armas a novidade para o Euro 2016.

A delegação policial, que inicia funções em França na segunda-feira e vai permanecer neste país até ao final da participação da seleção nacional no campeonato, tem como principal objetivo acompanhar os adeptos portugueses, numa missão que será feita em conjunto com as autoridades francesas.

"A nossa delegação vai fazer equipas conjuntas com os polícias de França e estaremos nas cidades onde Portugal vai jogar", disse Luís Simões, acrescentando que vão estar em "contacto permanente" com as autoridades locais.

O superintendente explicou que vão "acompanhar e dar apoio" a todos os adeptos portugueses.

"Qualquer português com problemas pode dirigir-se à delegação portuguesa, que depois fará a coordenação com as autoridades francesas", realçou.

Luís Simões sublinhou que, no contexto da seleção nacional, "não tem havido qualquer incidente com adeptos portugueses em termos de violência associado ao desporto".

Questionado sobre as principais preocupações e prioridades devido ao grau de ameaça terrorista em França, referiu que a delegação vai "fazer o mesmo que faz em Portugal relativamente a situações de multidões e de eventos desta natureza".

"Temos que estar especialmente atentos a tudo o que respeita a situações de alteração de ordem pública, mas também a indícios que possam detetar e possam ser algum sinal na preparação de algum atentado ou de algum ato preparatório", afirmou.

Luís Simões explicou que esta delegação faz parte da cooperação policial internacional e tem como objetivo fazer a coordenação com as autoridades francesas, tendo cada seleção que participa no Euro 2016, que decorre em França entre 10 de junho e 10 de julho, uma delegação policial.

Os seis elementos da PSP e dois da GNR que compõem a delegação portuguesa são "experientes na área do policiamento desportivo" e desempenham funções de spotters (agentes que acompanham os adeptos) em Portugal, disse, sublinhando que fazem também parte desta missão polícias especializados em matéria de informações na prevenção da violência associada ao desporto.

Além dos oito elementos da delegação policial, acompanham também a seleção portuguesa um oficial da PSP e outra da GNR e uma equipa do Corpo de Segurança Pessoal da Polícia de Segurança Pública.

Na entrevista à Lusa, Luís Simões destacou ainda que o policiamento feito por Portugal durante o Euro 2004 continua a ser reconhecido a nível internacional, tendo sido "um marco na organização da segurança destes eventos desportivos" e, exemplo disso, é a organização da cooperação policial no Euro 2016 que "é em tudo idêntica" à seguida pelas autoridades portuguesas.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Pyongyang cria vídeo a simular ataque a navios dos EUA
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos da América pretendem reforçar as sanções à Coreia do Norte e investir nos esforços diplomáticos. Contudo, a tensão militar persiste. Pyongyang emitiu um vídeo em que simula um ataque a navios norte-americanos.

  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.