sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas

Parlamento português faz 1 minuto de silêncio pelas vítimas de Bruxelas

Parlamento português faz 1 minuto de silêncio pelas vítimas de Bruxelas

A Assembleia da República aprovou hoje por unanimidade um voto de condenação e pesar pelos atentados terroristas de Bruxelas. Com a presença do embaixador belga, o presidente da Assembleia da República anunciou que a bandeira do Parlamento estará a meia haste.

"Estes ataques não farão imperar o medo ou o preconceito, nem esmorecer a coragem no combate ao terrorismo e às suas causas, um esforço persistente que envolve múltiplas dimensões", lê-se no voto subscrito por todas as bancadas parlamentares, que no final da sua leitura fizeram um minuto de silêncio.

O presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, anunciou que a bandeira do parlamento estará a meia haste.

Fazendo referência ao "verdadeiro cenário de terror" com que esta manhã todos acordaram perante os ataques terroristas no aeroporto e numa estação de metro de Bruxelas, os deputados portugueses dirigiram palavras de solidariedade às famílias das vítimas, bem como ao povo belga.

"Uma palavra de conforto neste momento difícil para todos os cidadãos belgas, portugueses e de outras nacionalidades, que residem em Bruxelas", lê-se no voto que foi lido na presença do embaixador belga em Portugal, que assistiu nas galerias às intervenções que os partidos e o Governo fizeram a propósito dos atentados na abertura na sessão plenária.

Sublinhando que Bruxelas é sede das instituições europeias e ponto de encontro de povos, ideias e projetos que para ali convergem, os deputados portugueses recordam que os ataques de hoje surgem na sequência da captura de um dos responsáveis pelos atentados de Paris.

Contudo, acrescentam, "dure o que durar este combate, o que importa é que as sociedades abertas nunca se deixem fechar e se mantenham sempre fiéis aos valores do Estado democrático de direito".

"A Assembleia da República, reunida em sessão plenária, expressa assim a sua mais veemente condenação dos atentados terroristas de Bruxelas e o seu mais profundo pesar pelas vítimas", é ainda referido no voto de condenação e pesar.

Pelo menos 34 pessoas morreram e perto de duas centenas ficaram feridas nas três explosões registadas hoje em Bruxelas - duas no aeroporto internacional de Zaventem e uma na estação de metro de Maalbeek, junto às instituições europeias, no centro da capital belga.

O nível de alerta terrorista na Bélgica foi elevado para quatro, o máximo da escala.

  • Costa desvaloriza ameaça e mantém planos de visita a Angola
    2:27

    Economia

    O governo angolano reagiu duramente à acusação do Ministério público portugues contra o vice-presidente de Angola. Luanda diz que a acusação é um sério ataque à República de Angola que pode perturbar as relações entre os dois paises. António Costa desvaloriza a ameaça e mantém os planos de uma visita a Angola na primavera.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Brasil já tirou o "pé do chão"
    1:59

    Mundo

    Já começaram os desfiles e festas de carnaval, no Rio de Janeiro.Esta sexta feira foi o início oficial das celebrações com centenas de milhar de pessoas nas ruas até de madrugada.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato. 

  • Atores de Hollywood contra Trump
    1:44

    Mundo

    Centenas de pessoas juntaram-se em mais um protesto contra o presidente dos Estados Unidos. A manifestação, em Beverly Hills, juntou várias estrelas de Hollywood.