sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas

Relatos de testemunhas no aeroporto de Bruxelas realçam intensidade das explosões

Relatos de testemunhas no aeroporto de Bruxelas realçam intensidade das explosões

Testemunhas ouvidas no exterior do aeroporto de Bruxelas relatam momentos de pânico vividos durante rebentamentos. Os primeiro relatos referem que os rebentamentos foram de forte intensidade e que não houve dúvida de que se tratava de um atentado terrorista. As explosões registadas hoje no aeroporto e no metro de Bruxelas causaram mais de 20 mortos e 35 feridos graves.

  • Atentados no aeroporto e metro de Bruxelas

    Atentados em Bruxelas

    Bruxelas foi hoje alvo de ataques terroristas, o balanço de vítimas subiu para 34 mortos e mais de 200 feridos. Duas grandes explosões ocorreram ao início da manhã, às 8:00 locais (7:00 em Lisboa) no Aeroporto de Zaventem. Cerca de uma hora depois, uma nova explosão registou-se numa estação de metro Maelbeek, próximo do quarteirão das instituições europeias. Entre os feridos está uma portuguesa. O alerta antiterrorista está no nível máximo no país, a população foi aconselhada a ficar onde está.

  • Carlos Moedas dá conta de um clima de medo em Bruxelas
    1:29

    Atentados em Bruxelas

    Carlos Moedas considera que esta é uma época terrível para a Europa. O comissário europeu para a Investigação, Inovação e Ciência está em Bruxelas, falou ao telefone com a SIC e disse que a Comissão Europeia está a trabalhar para garantir segurança das pessoas. Carlos Moedas dá conta de um clima de medo na capital belga.

  • Avioneta despenha-se em centro comercial de Melbourne

    Mundo

    Uma avioneta com cinco pessoas a bordo caiu num centro comercial perto do aeroporto de Essendon em Melbourne. Segundo a polícia do estado de Vitória tratava-se de um voo charter com destino a King Island, situada entre a parte continental da Austrália e a ilha da Tasmânia.

  • Acha que conhece o seu país?
    27:42
  • Jornalista bielorrusso come jornal após perder aposta

    Desporto

    Vyacheslav Fedorenko, editor de desporto de um importante jornal da Bielorrúsia, apostou que o Dinamo Minsk não chegaria aos play-offs da Kontinental Hockey League (KHL), uma liga internacional dominada por equipas russas. Perdeu e acabou a comer as próprias palavras, impressas em papel.