sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas

Selecionador belga preferia jogar contra Portugal em Bruxelas

Marc Wilmots, selecionador de futebol da Bélgica, disse esta quarta-feira que teria preferido disputar o particular de terça-feira contra Portugal em Bruxelas, como inicialmente previsto, e que não tem "medo do terrorismo".

© Yiannis Kourtoglou / Reuters

"Queria jogar em Bruxelas, em casa, porque sou contra o medo. Devemos continuar a viver, mas respeito as decisões das autoridades", comentou na capital belga o treinador, referindo-se à inversão do papel de anfitrião, que passa para Portugal, em Leiria.

A reação de Wilmots acontece um dia depois dos atentados ocorridos em Bruxelas, que provocaram 31 mortos e 270 feridos, situação que levou a federação de futebol belga a anular o jogo e aceitar a proposta portuguesa de jogar sim em Leiria, na data inicialmente prevista.

"Eu queria jogar aqui, para mostrar aos terroristas que mesmo que acontecimentos terríveis afetem o país a vida retoma o seu ritmo depressa, para a maioria das pessoas. Para mostrar que não temos medo e que não vamos mudar a nossa forma de viver", insistiu Wilmots.

O selecionador belga, de qualquer modo, fez questão de agradecer à Federação Portuguesa de Futebol "organizar em poucos dias o que normalmente leva meses a montar".

Lusa

  • Como se sobrevive à dor em Nodeirinho e Pobrais
    2:43
  • Raphäel Guerreiro vai continuar a acompanhar a seleção
    1:08
  • 74 mil alunos do secundário têm a vida "suspensa" 
    2:22

    País

    Enquanto o Ministério Público investiga a fuga de informação no exame nacional de Português do 12.º ano, 74 mil estudantes ficam com a vida suspensa. Se a fuga se confirmar, o exame corre o risco de ser anulado e as candidaturas ao ensino superior atrasam. O Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), responsável pelos exames, prometeu esclarecimentos para os próximos dias.