sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas

Bélgica baixa nível de alerta terrorista para três

O ministro do Interior belga, Jan Jambon, anunciou hoje que o seu governo decidiu baixar em um grau o nível de alerta antiterrorista, que estava no patamar máximo, porque "não há ameaças iminentes" de ataques. Jan Jambon explicou, em declarações ao canal RTL, que o Conselho de Segurança Nacional se tinha reunido esta tarde e o Órgão de Coordenação para a Análise de Ameaças (OCAM) tinha "decidido a reduzir o nível de ameaça para três", numa escala de quatro.

Várias mensagens, em várias línguas, foram escritas a giz no chão em Bruxelas, Bélgica

Várias mensagens, em várias línguas, foram escritas a giz no chão em Bruxelas, Bélgica

© Charles Platiau / Reuters

O nível três, que corresponde a uma ameaça "possível e provável", continua a ter uma série de implicações sobre a mobilização e a vigilância das forças de ordem.

O OCAM tinha aumentado o nível de alerta para quatro em todo o país, correspondente a uma ameaça de "grave e iminente", uma hora após o duplo atentado, na terça-feira, em Bruxelas, que fez, pelo menos, 31 mortos e 300 feridos.

A cidade de Bruxelas já tinha aumentado o nível de ameaça terrorista para quatro no passado dia 21 de novembro, na sequência dos ataques em Paris.

Depois, o nível diminuiu para três, mas as autoridades decidiram manter em alerta centenas de militares para monitorizar os edifícios sensíveis em todo o território

Lusa

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.