sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas

Identificação das vítimas dos atentados de Bruxelas vai demorar semanas

Os especialistas forenses que analisam os corpos das vítimas dos atentados de Bruxelas de terça-feira alertam que serão necessárias "semanas" para fazer identificações.

Várias mensagens, em várias línguas, foram escritas a giz no chão em Bruxelas, Bélgica

Várias mensagens, em várias línguas, foram escritas a giz no chão em Bruxelas, Bélgica

© Charles Platiau / Reuters

Num complexo hospitalar militar no norte de Bruxelas, os especialistas estão a trabalhar para estabelecer as identidades dos corpos que, em muitos casos, ficaram dilacerados pelas explosões.

Guardado por homens armados, o hospital Reine Astrid está a ser usado como centro de pessoas desaparecidas da Bélgica, ou unidade de Identificação de Vítimas de Desastres.

A morosidade e dificuldade do trabalho significam que as famílias enfrentam uma longa espera para terem a confirmação final de quem está entre os 31 mortos nos atentados.

"Ontem tivemos cerca de 30 pessoas à procura de familiares. Nenhum dos corpos foi ainda formalmente identificado, o processo continua", disse à AFP Ine Van Wymersch, que gere o centro.

Médicos, polícia, psicólogos e pessoal da Cruz Vermelha estão a cooperar para reunir informação sobre os desaparecidos.

Ao fim de três dias, nenhum dos corpos trazidos do aeroporto e do metro para a morgue foi formalmente identificado, com o processo a poder demorar várias semanas.

Só quando forem identificados é que os familiares podem reclamar os corpos e organizar funerais.

"O número de pessoas não identificadas é excecional. Foi uma catástrofe 'aberta', não havia lista de quem estava no comboio ou no terminal do aeroporto, não havia lista de passageiros como há quando há um acidente de avião", explicou à AFP o porta-voz da polícia federal Michael Jonnois.

Lusa

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

  • Monumentos de 7 mil cidades às escuras por 1 hora
    2:51
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.