sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas

Identificação das vítimas dos atentados de Bruxelas vai demorar semanas

Os especialistas forenses que analisam os corpos das vítimas dos atentados de Bruxelas de terça-feira alertam que serão necessárias "semanas" para fazer identificações.

Várias mensagens, em várias línguas, foram escritas a giz no chão em Bruxelas, Bélgica

Várias mensagens, em várias línguas, foram escritas a giz no chão em Bruxelas, Bélgica

© Charles Platiau / Reuters

Num complexo hospitalar militar no norte de Bruxelas, os especialistas estão a trabalhar para estabelecer as identidades dos corpos que, em muitos casos, ficaram dilacerados pelas explosões.

Guardado por homens armados, o hospital Reine Astrid está a ser usado como centro de pessoas desaparecidas da Bélgica, ou unidade de Identificação de Vítimas de Desastres.

A morosidade e dificuldade do trabalho significam que as famílias enfrentam uma longa espera para terem a confirmação final de quem está entre os 31 mortos nos atentados.

"Ontem tivemos cerca de 30 pessoas à procura de familiares. Nenhum dos corpos foi ainda formalmente identificado, o processo continua", disse à AFP Ine Van Wymersch, que gere o centro.

Médicos, polícia, psicólogos e pessoal da Cruz Vermelha estão a cooperar para reunir informação sobre os desaparecidos.

Ao fim de três dias, nenhum dos corpos trazidos do aeroporto e do metro para a morgue foi formalmente identificado, com o processo a poder demorar várias semanas.

Só quando forem identificados é que os familiares podem reclamar os corpos e organizar funerais.

"O número de pessoas não identificadas é excecional. Foi uma catástrofe 'aberta', não havia lista de quem estava no comboio ou no terminal do aeroporto, não havia lista de passageiros como há quando há um acidente de avião", explicou à AFP o porta-voz da polícia federal Michael Jonnois.

Lusa

  • Carro que atropelou adepto encontrado numa garagem na Amadora
    1:51

    Desporto

    O carro que atropelou o adepto da Fiorentina, junto ao Estádio da Luz, está nas mãos da Polícia Judiciária. O automóvel foi encontrado esta terça-feira por uma brigada da PSP na garagem de um casa da Amadora, que pertence a um elemento da claque dos No Name Boys.

  • A SIC foi dar uma volta de bicicleta

    País

    Há 90 anos, cerca de 40 ciclistas partiam do Marquês de Pombal, em Lisboa, para a primeira etapa da 1.ª Volta a Portugal de Bicicleta. Hoje, um grupo de investigadores repete o percurso, até Setúbal, dando início a uma viagem que pretende incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte no dia-a-dia. Um jornalista da SIC segue no pelotão e pode acompanhar a viagem em direto no Facebook da SIC Notícias.

    Em atualização

    SIC

  • Portugal perde 22 mil empregos por ano por causa da pirataria
    1:52

    País

    Todos os anos, Portugal perde cerca de mil milhões de euros e mais de 22 mil empregos por causa à pirataria. Hoje assinala-se o dia mundial da propriedade intelectual. Uma área que diz respeito a todas as formas de arte e, entre outras, ao jornalismo.