sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas

Atentados em Bruxelas

Atentados em Bruxelas

Identificação das vítimas dos atentados de Bruxelas vai demorar semanas

Os especialistas forenses que analisam os corpos das vítimas dos atentados de Bruxelas de terça-feira alertam que serão necessárias "semanas" para fazer identificações.

Várias mensagens, em várias línguas, foram escritas a giz no chão em Bruxelas, Bélgica

Várias mensagens, em várias línguas, foram escritas a giz no chão em Bruxelas, Bélgica

© Charles Platiau / Reuters

Num complexo hospitalar militar no norte de Bruxelas, os especialistas estão a trabalhar para estabelecer as identidades dos corpos que, em muitos casos, ficaram dilacerados pelas explosões.

Guardado por homens armados, o hospital Reine Astrid está a ser usado como centro de pessoas desaparecidas da Bélgica, ou unidade de Identificação de Vítimas de Desastres.

A morosidade e dificuldade do trabalho significam que as famílias enfrentam uma longa espera para terem a confirmação final de quem está entre os 31 mortos nos atentados.

"Ontem tivemos cerca de 30 pessoas à procura de familiares. Nenhum dos corpos foi ainda formalmente identificado, o processo continua", disse à AFP Ine Van Wymersch, que gere o centro.

Médicos, polícia, psicólogos e pessoal da Cruz Vermelha estão a cooperar para reunir informação sobre os desaparecidos.

Ao fim de três dias, nenhum dos corpos trazidos do aeroporto e do metro para a morgue foi formalmente identificado, com o processo a poder demorar várias semanas.

Só quando forem identificados é que os familiares podem reclamar os corpos e organizar funerais.

"O número de pessoas não identificadas é excecional. Foi uma catástrofe 'aberta', não havia lista de quem estava no comboio ou no terminal do aeroporto, não havia lista de passageiros como há quando há um acidente de avião", explicou à AFP o porta-voz da polícia federal Michael Jonnois.

Lusa

  • Costa desvaloriza ameaça e mantém planos de visita a Angola
    2:27

    Economia

    O governo angolano reagiu duramente à acusação do Ministério público portugues contra o vice-presidente de Angola. Luanda diz que a acusação é um sério ataque à República de Angola que pode perturbar as relações entre os dois paises. António Costa desvaloriza a ameaça e mantém os planos de uma visita a Angola na primavera.

  • Catarina Martins diz que é preciso ouvir os dois secretários de Estado sobre offshores
    1:27

    Economia

    O Bloco de Esquerda diz que participa com empenho em todas as comissões de inquérito, mas insiste que não faz sentido suspender o trabalho da comissão em curso sobre a Caixa Geral de Depósitos. Catarina Martins esteve esta manhã em Estremoz, onde comentou também o caso das transferências para offshores. A coordenadora do Bloco diz que é preciso ouvir os dois Secretários de Estado dos assuntos fiscais para perceber o que se passou.

  • Brasil já tirou o "pé do chão"
    1:59

    Mundo

    Já começaram os desfiles e festas de carnaval, no Rio de Janeiro.Esta sexta feira foi o início oficial das celebrações com centenas de milhar de pessoas nas ruas até de madrugada.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Atores de Hollywood contra Trump
    1:44

    Mundo

    Centenas de pessoas juntaram-se em mais um protesto contra o presidente dos Estados Unidos. A manifestação, em Beverly Hills, juntou várias estrelas de Hollywood.