sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas

Bruxelas assinala aniversário de ataques terroristas com "um minuto de barulho"

A Bélgica assinala na quarta-feira o primeiro aniversário dos ataques no aeroporto de Bruxelas e numa estação de metro com cerimónias que incluem "um minuto de barulho" ao invés de silêncio.

A circulação de comboios, elétricos e autocarros será suspensa para recordar as 32 pessoas que morreram e as mais de 320 que ficaram feridas nos ataques reivindicados pelo grupo extremista Daesh.

A Bélgica permanece em estado de alerta, com soldados a patrulharem as ruas, um ano depois das explosões levadas a cabo por uma rede que as autoridades acreditam ter estado também por detrás dos ataques de novembro de 2015, em Paris.

"O nosso país está mais seguro agora", disse à agência AFP o ministro do Interior, Jan Jambon, alertando que ainda existe a ameaça de os extremistas que se juntaram às fileiras do Daesh na Síria regressarem à Bélgica.

As cerimónias começam no aeroporto Zaventem, onde o rei Philippe e a rainha Mathilde vão liderar uma homenagem às 16 pessoas mortas pelos bombistas suicidas Ibrahim El Bakraoui e Najim Laachraoui no dia 22 de março de 2016.

Os familiares das vítimas e pessoal das equipas de resgate estarão presentes.O casal real desloca-se depois para a estação de metro de Maalbeek, onde o irmão de Bakraoui, Khalid, se fez explodir num comboio cheio, matando outras 16 pessoas.

Quebrando a tradição, os funcionários do metro vão organizar um "minuto de barulho", em que os passageiros serão convidados a participar para "demonstrar que não se esqueceram mas que se vão manter firmes contra o ódio e o terror", disse em comunicado a empresa de transportes públicos de Bruxelas, Stib.

Por fim, o rei e a rainha vão inaugurar um novo memorial na rotunda Robert Schuman, no centro das instituições da União Europeia, sedeada em Bruxelas.

Lusa

  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, fez 100 dias este sábado. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52