sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas

Bruxelas assinala aniversário de ataques terroristas com "um minuto de barulho"

A Bélgica assinala na quarta-feira o primeiro aniversário dos ataques no aeroporto de Bruxelas e numa estação de metro com cerimónias que incluem "um minuto de barulho" ao invés de silêncio.

A circulação de comboios, elétricos e autocarros será suspensa para recordar as 32 pessoas que morreram e as mais de 320 que ficaram feridas nos ataques reivindicados pelo grupo extremista Daesh.

A Bélgica permanece em estado de alerta, com soldados a patrulharem as ruas, um ano depois das explosões levadas a cabo por uma rede que as autoridades acreditam ter estado também por detrás dos ataques de novembro de 2015, em Paris.

"O nosso país está mais seguro agora", disse à agência AFP o ministro do Interior, Jan Jambon, alertando que ainda existe a ameaça de os extremistas que se juntaram às fileiras do Daesh na Síria regressarem à Bélgica.

As cerimónias começam no aeroporto Zaventem, onde o rei Philippe e a rainha Mathilde vão liderar uma homenagem às 16 pessoas mortas pelos bombistas suicidas Ibrahim El Bakraoui e Najim Laachraoui no dia 22 de março de 2016.

Os familiares das vítimas e pessoal das equipas de resgate estarão presentes.O casal real desloca-se depois para a estação de metro de Maalbeek, onde o irmão de Bakraoui, Khalid, se fez explodir num comboio cheio, matando outras 16 pessoas.

Quebrando a tradição, os funcionários do metro vão organizar um "minuto de barulho", em que os passageiros serão convidados a participar para "demonstrar que não se esqueceram mas que se vão manter firmes contra o ódio e o terror", disse em comunicado a empresa de transportes públicos de Bruxelas, Stib.

Por fim, o rei e a rainha vão inaugurar um novo memorial na rotunda Robert Schuman, no centro das instituições da União Europeia, sedeada em Bruxelas.

Lusa

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC