sicnot

Perfil

Festivais de Verão

Festivais de Verão

Festivais de Verão

Festivais Sol da Caparica e Bons Sons dedicados à música portuguesa

Com quase 80 concertos, quase todos de música portuguesa, hoje começam os festivais Bons Sons e Sol da Caparica, um no interior centro do país e outro junto ao mar.

Separados por cerca de 150 quilómetros, os dois festivais - que terminam no domingo - propõem experiências distintas tendo por matéria a música que se faz em Portugal e no espaço da lusofonia.

O Sol da Caparica cumpre a segunda edição no parque urbano da Costa de Caparica (Almada) e a organização espera superar os 65.000 espectadores de 2014 com as onze horas diárias de concertos. Por lá vão passar nomes mais recentes, como Agir e DJ Marfox, mas também Linda Martini, Jorge Palma, Xutos & Pontapés, Brigada Victor Jara ou o brasileiro Marcelo D2.

Ao Sol da Caparica juntam-se ainda o fadista Camané e o músico Carlão, os dois artistas que também estarão no Bons Sons, o festival que ocupa a pequena aldeia de Cem Soldos, perto de Tomar.

Aqui, os concertos acontecerão em oito palcos espalhados pela aldeia, dentro e fora de portas, e com uma programação definida, seja mais virada para a música tradicional seja para as linguagens mais recentes.

Quem lá for encontrará os Clã, Manel Cruz, Ana Moura, Camané, Bruno Pernadas, o guitarrista Tó Trips, o pianista Júlio Resende, os Riding Pânico, os Penicos de Prata, Xinobi, DJ Nigga Fox e DJ Firmeza.

Depois de ter sido um festival bienal, o Bons Sons transita agora para anual, mobilizando os habitantes da aldeia em torno destes quatro dias de música, mas também de cinema e artes urbanas. Em 2014, o festival contou com 38.000 espectadores.

Tanto no Sol da Caparica como no Bons Sons este ano investe-se na programação para o público mais novo.

Na Costa de Caparica o domingo é dedicado às crianças, com concertos de Luísa Sobral e Avô Cantigas e várias atividades lúdicas.

Em Cem Soldos, as manhãs do festival foram guardadas para as crianças até aos dez anos, com ateliers de música tradicional e sessões de música para bebés.

Em cada um destes festivais o bilhete diário custa 15 euros e o passe 35 euros.

Lusa

  • 2,1%. As reações ao défice de 2016

    Economia

    O défice orçamental ficou mesmo nos 2,1% do PIB. Os partidos já reagiram àquele que é o valor mais baixo em democracia.

  • Comboios Alfa vão ter bancos com tomadas elétricas e wi-fi
    2:06
  • Novas imagens dos momentos após Khalid Masood ter embatido no muro do Parlamento britânico
    1:35
  • Nus e acorrentados em frente a Auschwitz

    Mundo

    Catorze pessoas com idades entre os 20 e os 27 anos despiram-se e acorrentaram-se em frente ao portão de Auschwitz, antigo campo de concetração nazi na Polónia, depois de terem degolado um carneiro. Ninguém sabe ainda porquê.

  • A coleção de gerigonças de Ana Catarina Mendes
    1:51
  • Parlamento português pede demissão de Dijsselbloem

    País

    A Assembleia da República foi hoje unânime na condenação das polémicas declarações do presidente do Eurogrupo, mas recusou um ponto pela rejeição de diversos compromissos com a União Europeia (UE) exigida pelo PCP.

  • Probido fumar na praia? Não-fumadores aplaudem ideia
    1:33
  • Viaduto de Alcântara condicionado
    1:36

    País

    O viaduto de Alcântara, em Lisboa, continua com o trânsito condicionado mas apenas sobre o tabuleiro e no sentido Alcântara Terra - Alcântara Mar. A circulação só será reposta depois de uma nova vistoria, ainda sem data marcada.

  • Como se resolve a falta de espaço numa cidade chinesa?
    1:07