sicnot

Perfil

Festivais de Verão

Festivais de Verão

Festivais de Verão

Aldeia de Cem Soldos recebeu 37.000 pessoas para o festival Bons Sons

Trinta e sete mil foi o total de espectadores, nos quatro dias do festival Bons Sons, que terminou no domingo, na aldeia de Cem Soldos, em Tomar, disse hoje à Lusa fonte da organização.

Segundo uma das responsáveis pelo gabinete de comunicação do festival, Ana Abrantes, "37.000 pessoas e 250 músicos viveram a aldeia em 2015", desde a passada quinta-feira, até domingo.

Com 45 bandas e 250 músicos representados, o Bons Sons, este ano em 6.ª edição, demonstrou mais uma vez a vitalidade da produção musical nacional e confirmou a sua pertinência, indicou a organização à agência Lusa.

"A organização congratula-se com os objetivos alcançados nesta edição do festival, que visa não apenas divulgar a música portuguesa, mas também estimular a economia local e encaminhar as receitas para a melhoria da qualidade de vida da população de Cem Soldos", disse.

O Bons Sons decorreu de quinta-feira a domingo, à semelhança do Sol da Caparica, dois certames que este ano apostaram na programação para o público mais novo e que ofereciam perto de 80 concertos, de música portuguesa ou de música de origem lusófona.

O fadista Camané e o músico Carlão foram dois dos artistas que atuaram em ambos os certames -- um no interior e outro junto ao mar, a cerca de 150 quilómetros de distância um do outro.

No Bons Sons, onde a programação definida tanto era virada para a música tradicional como para as linguagens mais recentes, os concertos realizaram-se em oito palcos espalhados pela aldeia, dentro e fora de portas.

Clã, Manel Cruz, Ana Moura, Camané, Bruno Pernadas, o guitarrista Tó Trips, o pianista Júlio Resende, os Riding Pânico, os Penicos de Prata, Xinobi, DJ Nigga Fox e DJ Firmeza foam alguns dos artistas que atuaram em Cem SoSegundo uma das responsáveis pelo gabinete de comunicação do festival, Ana Abrantes, "37.000 pessoas e 250 músicos viveram a aldeia em 2015", desde a passada quinta-feira, até domingo.

Com 45 bandas e 250 músicos representados, o Bons Sons, este ano em 6.ª edição, demonstrou mais uma vez a vitalidade da produção musical nacional e confirmou a sua pertinência, indicou a organização à agência Lusa.

"A organização congratula-se com os objetivos alcançados nesta edição do festival, que visa não apenas divulgar a música portuguesa, mas também estimular a economia local e encaminhar as receitas para a melhoria da qualidade de vida da população de Cem Soldos", disse.

O Bons Sons decorreu de quinta-feira a domingo, à semelhança do Sol da Caparica, dois certames que este ano apostaram na programação para o público mais novo e que ofereciam perto de 80 concertos, de música portuguesa ou de música de origem lusófona.

O fadista Camané e o músico Carlão foram dois dos artistas que atuaram em ambos os certames -- um no interior e outro junto ao mar, a cerca de 150 quilómetros de distância um do outro.

No Bons Sons, onde a programação definida tanto era virada para a música tradicional como para as linguagens mais recentes, os concertos realizaram-se em oito palcos espalhados pela aldeia, dentro e fora de portas.

Clã, Manel Cruz, Ana Moura, Camané, Bruno Pernadas, o guitarrista Tó Trips, o pianista Júlio Resende, os Riding Pânico, os Penicos de Prata, Xinobi, DJ Nigga Fox e DJ Firmeza foam alguns dos artistas que atuaram em Cem Soldos.

Depois de ter sido um festival bienal, o Bons Sons transitou agora para anual, mobilizando os habitantes da aldeia em torno destes quatro dias de música, mas também de cinema e artes urbanas.

Depois de ter sido um festival bienal, o Bons Sons transitou agora para anual, mobilizando os habitantes da aldeia em torno destes quatro dias de música, mas também de cinema e artes urbanas.

Em 2014, o festival contou com perto de 38.000 espectadores.

Lusa

  • Explosão próximo do aeroporto de Damasco

    Mundo

    A televisão do movimento xiita libanês Hezbollah, aliado do regime sírio, noticiou hoje que a explosão ocorrida esta madrugada perto do aeroporto de Damasco "foi provavelmente" resultado de um ataque israelita contra depósitos de combustível.

    Em atualização

  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Macron e Le Pen em troca de acusações
    2:16

    Eleições França 2017

    A campanha eleitoral para a segunda volta em França ficou esta quarta-feira marcada por uma troca de acusações entre os dois candidatos. De visita a uma fábrica em risco de encerramento, Le Pen prometeu que se for eleita salvará os 300 postos de trabalho. Emmanuel Macron acusou a candidata da extrema-direita de aproveitamento político.

  • Os filhos do divórcio
    20:50
  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • "Esta moda bizarra de não vacinar crianças tem tido estas consequências"
    1:43

    Surto de sarampo

    Há mais um caso de sarampo registado pela Direção-Geral da Saúde, no total já são 25. Francisco George garantiu que a situação não é preocupante para as crianças em idade escolar e recomendou uma discussão parlamentar sobre a vacinação. Mais de 11 mil pessoas já assinaram uma petição pública a defender a vacinação obrigatória. 

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e a organização espera ter 60 mil participantes.