sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Palestinianas interrompem Congresso da FIFA que mantém eleição para presidente

galeria de fotos

Duas manifestantes palestinianas interromperam durante breves instantes o Congresso da FIFA, que deverá votar hoje a possibilidade de expulsar Israel da organização que rege o futebol mundial. A Federação Internacional de Futebol vai também hoje escolher o presidente, apesar do escândalo que abala a organização.  

© Arnd Wiegmann / Reuters

© Ruben Sprich / Reuters

© Arnd Wiegmann / Reuters

© Ruben Sprich / Reuters

© Ruben Sprich / Reuters

A conferência de imprensa do presidente eleito da FIFA, marcada para esta manhã, foi adiada para amanhã. Um adiamento justificado pelo prolongamento dos trabalhos do Congresso e com a realização de uma reunião, amanhã, extraordinária do Comité Executivo da FIFA.    


Joseph Blatter é candidato a um quinto mandato como presidente da FIFA, e parece estar convencido de que é o único capaz de limpar a imagem da instituição abalada por um escândalo de corrupção mundial. 


Blatter chegou ao congresso da FIFA esta sexta-feira , logo seguido pelo seu único rival na eleição presidencial, o príncipe Ali Bin Al Hussein e o presidente da UEFA, Michel Platini. 


Platini pediu ontem a demissão de Blatter e deu o seu apoio ao príncipe Ali Bin Hussein, que se apresenta como o homem da mudança. 


Os detidos no âmbito desta investigação à FIFA são acusados de conspiração e corrupção, num caso que envolve subornos no valor de 140 milhões de euros. 


Cartões vermelhos aos representantes da FIFA 


Duas mulheres interromperam o discurso de abertura do presidente da FIFA, Joseph Blatter, mostrando cartões vermelhos aos representantes do organismo, enquanto gritavam "Israel fora!", antes de terem sido retiradas do recinto por seguranças. 


Cerca de 150 manifestantes pró-Palestina já tinham protestaram no exterior do Hallenstadion, antes do início dos trabalhos. 


A Palestina, membro da FIFA desde 1998, pretende a expulsão do organismo de Israel, na sequência das restrições impostas à liberdade dos jogadores palestinianos. Além disso, opõe-se também à participação no campeonato israelita de cinco clubes localizados em colonatos na Cisjordânia. 


Para que Israel seja expulso da FIFA é necessária uma votação de uma maioria de dois terços.



Com Lusa

  • Blatter proibido de deixar a Suíça
    2:01

    Corrupção na FIFA

    Joseph Blatter está proibido de deixar a Suíça. O presidente da FIFA não pode sair do país enquanto não for ouvido pelas autoridades, no âmbito da investigação que já levou à detenção de dirigentes da instituição que gere o futebol mundial. Esta quinta-feira, na abertura do congresso em que se recandidata à presidência, Blatter fez saber que não se demite.

  • Chuva deixa em alerta 12 distritos do continente

    País

    Doze distritos do continente estão hoje sob aviso amarelo devido à previsão de chuva, que pode ser pontualmente forte e acompanhada por trovoadas e granizo, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

  • Parceiros sociais retomam hoje discussão sobre legislação laboral

    Economia

    Os parceiros sociais retomam esta tarde a discussão sobre as alterações à legislação laboral nas áreas do combate à precariedade, promoção da negociação coletiva e reforço da inspeção do trabalho. No encontro, marcado para as 15:00 no Conselho Económico e Social (CES), em Lisboa, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, deverá apresentar um novo documento com alterações face ao que foi proposto aos parceiros sociais há dois meses.

  • Sabia que pode emprestar dinheiro a empresas e ganhar 7% em juros por ano?
    8:05
  • A experiência de um embaixador português na Coreia do Norte
    2:58

    País

    A Coreia do Norte tem o maior orçamento militar do mundo e o seu arsenal nuclear acaba por dar-lhe acesso a uma possível cimeira com os Estados Unidos. A pobreza e o culto da personalidade foram testemunhados pelo embaixador, José Manuel de Jesus, que visitou várias vezes Pyongyang.

  • EUA expulsa dois diplomatas venezuelanos e dá-lhes 48 horas para deixarem o país

    Mundo

    Os Estados Unidos anunciaram, na quarta-feira, a expulsão de dois diplomatas venezuelanos, aos quais deu um prazo de 48 horas para sairem do país. A decisão é a resposta ao anúncio de Presidente da Venezuela de expulsar o encarregado de negócios e o chefe da secção política da embaixada dos Estados Unidos em Caracas, Todd Robinson e Brian Naranjo, respetivamente.