sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Advogado diz que evidências vão provar inocência de Blatter

O advogado de Joseph Blatter disse esta sexta-feira que as evidências do processo que foi movido pela justiça suíça contra o presidente da FIFA vão provar a sua inocência e demonstrar que não houve qualquer ato de má gestão.

O ato de má gestão, que o advogado reafirma que não existiu, diz respeito a um acordo entre a FIFA e a Federação de Futebol das Caraíbas, que, segundo o Ministério Publico da Suíça foi prejudicial para a FIFA. (Arquivo)

O ato de má gestão, que o advogado reafirma que não existiu, diz respeito a um acordo entre a FIFA e a Federação de Futebol das Caraíbas, que, segundo o Ministério Publico da Suíça foi prejudicial para a FIFA. (Arquivo)

© Denis Balibouse / Reuters

"O Sr. Blatter está a cooperar e estamos confiantes de que, quando as autoridades suíças tiverem a oportunidade de rever os documentos e as provas, vão ver que o contrato foi devidamente preparado e negociado pelos funcionários da FIFA", disse em comunicado por Richard Cullen.

O ato de má gestão, que o advogado reafirma que não existiu, diz respeito a um acordo entre a FIFA e a Federação de Futebol das Caraíbas, que, segundo o Ministério Publico da Suíça foi prejudicial para a FIFA.

Neste processo, também está envolvido Platini, candidato à sucessão de Blatter nas eleições de fevereiro na FIFA, por, alegadamente, ter recebido do suíço "um pagamento ilegal" de dois milhões de francos suíços (cerca de 1,8 milhões de euros).

A FIFA foi abalada por um escândalo de corrupção em maio, a dois dias da reeleição de Blatter, num processo aberto pela justiça dos Estados Unidos e que levou a acusações a 14 dirigentes e ex-dirigentes.

No início de junho, Blatter apresentou a demissão, abrindo o caminho para novas eleições, marcadas para 26 de fevereiro.

Além de Platini, são também candidatos à presidência da FIFA o príncipe jordano Ali bin Al Hussein, antigo vice-presidente da FIFA, o sul-coreano Chung Mong-Joon, também antigo vice-presidente da FIFA, e o ex-futebolista brasileiro Zico.

Lusa

  • Madonna diz que América nunca desceu tão baixo
    2:12

    Mundo

    No mundo artístico, foram várias as vozes que se levantaram contra Trump, entre elas Madonna. A cantora disse esta quinta-feira em Nova Iorque, a propósito do dia da tomada de posse, que nunca a América desceu tão baixo. Já o ator Matthew McConaughey - que está em Londres - garantiu que não ia perder a cerimónia pela televisão.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida