sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

Clientes abandonam Novo Banco de Leiria após chegada da PSP

Os clientes lesados em papel comercial do Banco Espírito Santo (BES) abandonaram ordeiramente a segunda agência do Novo Banco, que tinham invadido hoje à tarde, após a chegada da PSP.

PAULO CUNHA

Passavam cerca de nove minutos das 15:00, quando o gerente da agência do Novo Banco, junto às piscinas municipais de Leiria, pediu aos manifestantes para saírem do espaço, porque estava na hora de encerramento.

Os clientes recusaram abandonar o local, voltando a exigir o pagamento do seu dinheiro. Meia hora depois, um agente da PSP de Leiria entrou na dependência bancária e falou com os manifestantes, explicando-lhes que se não saíssem iriam incorrer "num crime de desobediência".

Após alguma contestação, os manifestantes foram abandonando o espaço. "Já nos fizemos ouvir, agora saímos ordeiramente", anunciou um dos organizadores. 

Às 15:37 os manifestantes já estavam na rua, prometendo continuar a luta.

Hoje de manhã, cerca de 30 pessoas invadiram as instalações do Novo Banco em Leiria, reclamando os seus direitos e exigindo o dinheiro investido em papel comercial no BES, instituição que veio dar lugar ao Novo Banco.

Perto das 14 horas, o grupo dirigiu-se para outro balcão do mesmo banco, a cerca de 500 metros do primeiro local de protesto.

A 03 de agosto de 2014, o Banco de Portugal tomou o controlo do BES, após a apresentação de prejuízos semestrais de 3,6 mil milhões de euros, e anunciou a separação da instituição em duas entidades: o chamado banco mau (um veículo que mantém o nome BES e que concentra os ativos e passivos tóxicos do BES, assim como os acionistas) e o banco de transição que foi designado Novo Banco.



Lusa
  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • "Reforma da Proteção Civil esgotou prazo de validade"
    2:34

    Tragédia em Pedrógão Grande

    António Costa reconheceu esta quinta-feira que a reforma da Proteção Civil que liderou em 2006 está esgotada, e não pode dar resultados sem uma reforma da floresta. Na mesma altura, o ministro da Agricultura admitiu que os problemas já estavam identificados há uma década, sem explicar por que razão não foram atacados pelo Governo socialista da altura.

  • "De um primeiro-ministro esperam-se respostas, não perguntas"
    0:35

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Assunção Cristas acusa o ministro da Agricultura de ter deitado ao lixo a legislação do anterior Governo que poderia ser útil no combnate aos incêndios. O CDS exige uma responsabilização política pela tragédia de Pedrógão Grande, diz que há muito por esclarecer e por esse motivo entregou esta quinta-feira ao primeiro-ministro um conjunto de 25 perguntas.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.