sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

Lesados do BES em protesto junto ao edifício da Alfândega do Porto

galeria de fotos

Cerca de cinco dezenas de lesados do Banco Espírito Santo protestaram esta manhã em frente ao Centro de Congressos da Alfândega do Porto pela devolução do dinheiro investido em papel comercial do Grupo Espírito Santo (GES). 

LUSA/ ESTELA SILVA

LUSA/ ESTELA SILVA

LUSA/ ESTELA SILVA

LUSA/ ESTELA SILVA

"Devolvam-nos o nosso dinheiro", "paguem aquilo que devem" e "tenham vergonha" eram algumas das palavras de ordem entoadas pelos manifestantes, cerca das 10:00 da manhã.

 

No interior do edifício, encontram-se representantes dos vários partidos políticos a participar no "Encontro I.P.S.S. - Na defesa do Estado Social", entre os quais o vice-primeiro-ministro Paulo Portas (CDS/PP) e o presidente do grupo parlamentar do PSD Luís Montenegro.


Lusa

  • Clientes lesados do BES acusam BdP de não controlar papel comercial
    2:17

    Queda do BES

    Os clientes lesados do BES acusam o Banco de Portugal (BdP) de falhar na supervisão. Antes do colapso do banco, o governador mandou criar uma conta específica para reembolsar os 2500 pequenos investidores, mas nunca controlou essa conta, que acabou por ser utilizada por Ricardo Salgado para pagar a clientes de topo. A SIC falou com Nuno Lopes Pereira, Associação de Indignados e Enganados do Papel Comercial.

  • Auditoria forense ao BES aponta quatro atos de gestão ruinosa
    2:06

    Economia

    É um documento arrasador para Ricardo Salgado e para as administrações que liderou. A auditoria forense pedida pelo Banco de Portugal dá conta de 21 desobediências do ex-presidente do BES ao supervisor, em apenas sete meses, e de, pelo menos, quatro práticas de gestão ruinosa. É ainda dito que foram feitos empréstimos a administradores e empresas do grupo Espírito Santo, às escondidas do Banco de Portugal, que já tinha proibido qualquer crédito. As conclusões já foram enviadas ao Ministério Público.

  • Atirador canadiano mata combatente do Daesh a 3,5km de distância

    Mundo

    Um atirador das Forças Especiais do Canadá matou um combatente do Daesh com um tiro disparado a 3,5 quilómetros de distância, no passado mês de maio, no Iraque. O Comando de Operações Especiais canadiano garantiu à BBC que a distância do disparo, realizado com sucesso, é já considerada um recorde na história militar.

  • Revelada a verdadeira identidade de Banksy?

    Cultura

    O músico e produtor Goldie pode ter revelado a identidade do artista mais conhecido por Banksy, durante uma entrevista ao podcast do rapper Scroobius Pip. Goldie referiu Robert Del Naja de forma acidental e os fãs acreditam que a identidade do artista britânico foi finalmente desvendada.

  • "Mãe, por favor, para de dizer asneiras. Não quero que leves um tiro"
    0:51

    Mundo

    O Departamento de Investigação da Polícia do Minnesota divulgou esta sexta-feira um vídeo com imagens de um incidente que levou à morte de um afro-americano pela polícia, nos Estados Unidos da América. Em julho de 2016 um polícia atingiu mortalmente Philando Castile, de 32 anos, durante uma operação de controlo rodoviário. O homem procurava os documentos de identificação quando o polícia disparou quatro tiros. Nas imagens é possível ver o desespero da filha da companheira de Philiando Castile, minutos depois de ter visto o padrasto a morrer. O agente responsável pela morte de Castile foi absolvido pelo Tribunal na semana passada.

  • Depois da "provocação", o acidente em cadeia
    0:43

    Mundo

    Um vídeo de um acidente numa autoestrada em Santa Clarita, na Califórnia (EUA), está a tornar-se viral nas redes sociais. Nas imagens é possível ver um motociclista a dar um pontapé num carro que seguia à sua frente. Como forma de "retribuição", o carro vira na direção da mota mas bate no separador e depois numa carrinha que acabou por capotar. Segundo a imprensa norte-americana o condutor da carrinha foi levado para o hospital com ferimentos ligeiros. Já a pessoa que conduzia a mota seguiu o seu caminho.