sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

BES vende sucursal de Miami (EUA) ao grupo venezuelano Benacerraf

O grupo Banco Espírito Santo (BES) anunciou na quinta-feira que vendeu a sucursal em Miami, nos Estados Unidos, ao grupo venezuelano Benacerraf por 8,9 milhões de euros, segundo comunicado enviado à Comissão de Mercados de Valores Mobiliários (CMVM).

O objetivo das audições é permitir aos antigos administradores, entre eles Ricardo Salgado e Morais Pires, que expliquem o grau de responsabilidade que tinham antes da revelação do buraco nas contas do BES, a 30 de julho, e da resolução logo a seguir. (Arquivo)

O objetivo das audições é permitir aos antigos administradores, entre eles Ricardo Salgado e Morais Pires, que expliquem o grau de responsabilidade que tinham antes da revelação do buraco nas contas do BES, a 30 de julho, e da resolução logo a seguir. (Arquivo)

Francisco Seco / AP

No comunicado, o BES refere que "chegou a acordo com um grupo de investidores designado por Grupo Benacerraf para a alienação de 3.188.525 ações da sociedade Espírito Santo Bank", banco sedeado em Miami, Flórida, Estados Unidos.

A conclusão da transação está sujeita a aprovação pelas autoridades reguladoras e deverá ocorrer nos próximos 12 meses.

Com uma carteira de clientes provenientes sobretudo da América Latina e Portugal e cerca de 560 milhões de euros de ativos, a surcursal do BES em Miami foi posta à venda em agosto de 2014, quando o grupo bancário português sofreu uma intervenção por parte do Banco de Portugal.

"A experiência de famílias de banqueiros bem estabelecidos é um excelente catalisador para o nosso crescimento e dedicação aos nossos clientes", afirmou um porta-voz do BES, citado pela imprensa norte-americana.

O grupo Benacerraf, de uma das mais antigas famílias venezuelanas de banqueiros, detém a totalidade do Banco, com sede na Venezuela.

Lusa
  • BES adia apresentação de resultados

    Economia

    O BES adiou a apresentação de resultados. Num comunicado enviado esta quinta-feira à CMVM, a instituição que ficou com os ativos tóxicos depois da resolução diz não ter reunido as condições necessárias para divulgar dentro do prazo as contas de 2014.

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.