sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Presidente do Mecanismo de Estabilidade diz que "ataque" de Atenas a Portugal e Espanha é "inaceitável"

O diretor do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE), Klaus Regling, considerou "inaceitável" a forma como o governo grego "atacou" Portugal e Espanha, admitindo, numa entrevista ao jornal alemão Handelsblatt, que se tem "irritado" com recentes declarações de Atenas.

© Siu Chiu / Reuters

Na entrevista hoje publicada pelo diário económico alemão, ao ser questionado sobre declarações do primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, segundo o qual a Grécia não acordou de forma voluntária com o compromisso acordado no último Eurogrupo para o prolongamento da assistência a Atenas, tendo sido alvo de "chantagem", Regling comentou que essa foi "uma de várias declarações recentes" que o "irritaram".

"Entendo perfeitamente que o governo ainda esteja a tentar ajustar-se ao seu novo papel cinco semanas depois das eleições, mas isto não é forma de tratar os outros", comentou o diretor do mecanismo permanente de resgate da zona euro.

Questionado sobre se a sua opinião se aplica também à forma como a Grécia acusou Portugal e Espanha de terem tentado minar um compromisso no Eurogrupo, Regling respondeu que sim.

"O governo em Atenas atacou Espanha e Portugal de uma forma que eu considero inaceitável", declarou, considerando "simplesmente errado" que Tsipras acuse os governos conservadores de Madrid e de Lisboa de terem tentado eliminar o seu partido de esquerda, Syriza.

Segundo Regling, "o que é verdade é que há uma diferença fundamental entre a Grécia e outros países do euro sobre estratégia de política económica".

"A Grécia quer muitas coisas feitas de forma diferente. Mas em Espanha e em Portugal, a combinação de consolidação orçamental e de reformas estruturais tem produzido bons resultados até ver: a economia está a crescer de novo e os défices orçamentais a baixar", disse. 

No passado sábado, numa reunião do comité central do Syriza, Tsipras afirmou que, no Eurogrupo, a Grécia se deparou "com um eixo de poderes, liderado pelos governos de Espanha e de Portugal que, por motivos políticos óbvios, tentou levar a Grécia para o abismo durante todas as negociações", acusação que motivou queixas das autoridades de Madrid e Lisboa em Bruxelas.


Lusa
  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • "Reforma da Proteção Civil esgotou prazo de validade"
    2:34

    Tragédia em Pedrógão Grande

    António Costa reconheceu esta quinta-feira que a reforma da Proteção Civil que liderou em 2006 está esgotada, e não pode dar resultados sem uma reforma da floresta. Na mesma altura, o ministro da Agricultura admitiu que os problemas já estavam identificados há uma década, sem explicar por que razão não foram atacados pelo Governo socialista da altura.

  • "De um primeiro-ministro esperam-se respostas, não perguntas"
    0:35

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Assunção Cristas acusa o ministro da Agricultura de ter deitado ao lixo a legislação do anterior Governo que poderia ser útil no combate aos incêndios. O CDS exige uma responsabilização política pela tragédia de Pedrógão Grande, diz que há muito por esclarecer e por esse motivo entregou esta quinta-feira ao primeiro-ministro um conjunto de 25 perguntas.

  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

    Última Hora

  • Revestimento da Torre de Grenfell era tóxico e inflamável
    1:52
  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.