sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Tsipras insiste perante Merkel em iniciar "diálogo" sobre reparações de guerra

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, insistiu hoje perante a chanceler alemã Angela Merkel na necessidade de iniciar um "diálogo" sobre as compensações que o seu país reclama devido à ocupação nazi entre 1941 e 1944. 

EPA

"Temos de superar em conjunto as sombras do passado", afirmou o líder do partido da esquerda radical Syriza, que lidera a coligação no poder em Atenas, durante a conferência de imprensa conjunta após a primeira cimeira bilateral entre os dois chefes de governo, que hoje decorreu em Berlim. 

Tsipras assegurou que as pretensões do seu país não são prioritariamente de "tipo material", mas antes uma questão "moral e ética" e citou concretamente o crédito que a Grécia foi então forçada a conceder ao regime nazi e que nunca foi liquidado, justificados pelos "custos da ocupação". 

O primeiro-ministro grego recordou que estas reivindicações não são "novas" e foram aludidas pelos seus antecessores em diversas ocasiões, enquanto o Governo de Berlim considera a questão encerrada na perspetiva jurídica e política. 

No entanto, Tsipras separou a questão das reparações de guerra das atuais discussões sobre a dívida grega e os problemas de liquidez do seu país. 

As afirmações do primeiro-ministro grego seguem-se à proposta formulada no domingo pelo chefe da diplomacia de Atenas, Nikos Kotzias, sobre a formação de um "comité de sábios" para analisar esta questão, uma iniciativa de imediato rejeitada por responsáveis alemães. 

Merkel insistiu que esta questão está encerrada e recordou que a Alemanha "assume de forma muito séria" a sua responsabilidade pelas vítimas do nazismo "independente na sua nacionalidade". 

A questão das reparações de guerra divide Atenas e Berlim há décadas, mas agora assumiu nova atualidade após o novo parlamento grego ter aprovado a criação de uma comissão para avaliar essas exigências. 

A Alemanha considera o assunto encerrado devido aos acordos subscritos em 1953 em Londres com diversos países, e em 1990 com o Tratado "2+4" entre as duas Alemanhas e as potências vencedoras da II Guerra Mundial, e que possibilitou a reunificação do país. 

Atenas argumenta que os acordos do pós-guerra incluíam uma moratória que deveria ser revista até à assinatura do um Tratado de paz, que nunca chegou a ser concluído, e que a Grécia não esteve presente nos acordos de 1990. 






Lusa
  • O melhor golo do 5.º dia de Mundial

    Desporto

    Numa escolha feita pelos jornalistas de desporto e do site da SIC Notícias, mostramos-lhe o melhor golo deste quinto dia de Mundial. Foi apontado por Dries Mertens, na vitória da Bélgica sobre o Panamá por 3-0.

  • Rui Patrício confirmado no Wolverhampton

    Desporto

    O Wolverhampton anunciou esta segunda-feira a contratação do guarda-redes Rui Patrício, depois da rescisão com o Sporting. O guarda-redes da seleção nacional assinou contrato com o clube inglês por quatro épocas.

    SIC

  • Novo treinador do Sporting diz que mulheres não estão preparadas para falar de futebol
    1:23
  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Merkel tem duas semanas para negociar solução para crise migratória

    Mundo

    A chanceler alemã tem duas semanas para negociar com os parceiros europeus uma solução para a questão migratória e assim evitar uma crise política. O ultimato foi dado pelo CSU, o partido da Baviera que integra a coligação governamental. Ao contrário de Angela Merkel, defende uma política para os refugiados mais estrita.

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC