sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Atenas confirma pagamento de 450 M€ ao FMI

O prazo para a Grécia pagar os mais de 450 milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional termina hoje. Atenas garantiu sempre ter dinheiro para pagar este empréstimo, a par dos salários, das pensões e de outros compromissos do Estado. Um pagamento confirmado já esta manhã por uma fonte do Governo de Alexis Tsipras à agência Reuters.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Alkis Konstantinidis / Reuters

A confirmação acontece um dia depois de ser conhecida a demissão do representante da Grécia no Fundo Monetário Internacional. Thanos Katsambas alegou motivos pessoais, mas a saída está a ser associada à visita do ministro das Finanças a Washington e ao encontro com a responsável do FMI, no domingo passado.

 

Mais um encontro para Varoufakis garantir o pagamento destes 450 milhões de euros ao FMI, mas que poderá ter ditado a substituição do representante indicado plo anterior governo de Lucas Papademos.

 

Atenas continua a tentar chegar a acordo com a União Europeia e os credores internacionais até ao final deste mês. Em maio, o Governo grego tem mais uma tranche a pagar, de quase 750 milhões de euros, para evitar a bancarrota e a saída da zona euro.

  • Encontro de Tsipras com Putin motivou críticas de parceiros europeus
    1:21

    Crise na Grécia

    O primeiro-ministro grego encontrou-se esta quarta-feira em Moscovo com o Presidente russo, que fez questão de sublinhar que a Grécia não lhe pediu ajuda financeira. Num momento particularmente delicado para a economia grega, Alexis Tspiras volta-se para um dos históricos parceiros comerciais e apela ao abandono da política de sanções, impostas pela União Europeia a Moscovo. O encontro "caiu mal" a alguns parceiros europeus.

  • Atentados na Catalunha estão relacionados, 14 mortos

    Ataque em Barcelona

    Uma pessoa morreu e cinco suspeitos foram abatidos num segundo ataque esta madrugada em Espanha, depois do atentado de ontem que fez 13 mortos em Barcelona. As operações de busca centram-se num nome: Moussa Oukabir. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • Driss Oukabir: suspeito do atentado ou vítima de roubo de identidade?
    2:40

    Ataque em Barcelona

    Um dos dois suspeitos, do ataque nas Ramblas, detidos pela polícia foi inicialmente identificado como Driss Oukabir, um homem de 28 anos. Mais tarde, um homem com o mesmo nome apresentou-se numa esquadra em Girona, a mais de 100 quilómetros do local do atropelamento afirmando que lhe tinha sido roubada a identificação. De acordo com alguma imprensa espanhola, poderá ter sido o irmão, Moussa Oukabir, um jovem de 18 anos que vive em Barcelona, como explicou também Nuno Rogeiro, comentador da SIC.

  • "Nas Ramblas, é como se nada tivesse acontecido"
    1:35

    Ataque em Barcelona

    Um atentado terrorista em Barcelona matou 13 pessoas e feriu cerca de 100. O ataque aconteceu na zona das Ramblas, quando uma carrinha avançou sobre quem circulava nessa grande via no centro da capital da Catalunha. O repórter Emanuel Nunes está em Barcelona e deu conta do regresso à normalidade nas Ramblas, logo às primeiras horas da manhã.

  • Barcelona abalada pelo terrorismo
    1:03
  • "O abandono provoca incêndios desta dimensão"
    0:55

    País

    O antigo vereador da Câmara de Mação José Silva acredita que a desertificação do interior também é, em parte, responsável pelos incêndios. Segundo José Silva, Mação tem cada vez menos habitantes e é por essa razão que os terrenos são deixados ao abandono.

  • Mação perdeu 80% da área florestal
    3:39
  • Médicos e ministro da Saúde voltam hoje às negociações

    País

    O Ministério da Saúde deverá apresentar uma proposta que poderá ser decisiva para a convocação ou não de uma nova greve. O Sindicato Independente dos Médicos e a Federação Nacional de Médicos tinham anunciado, no dia 11 de agosto, que vão realizar uma greve de dois dias na primeira semana de outubro, se a nova proposta negocial não levar em conta o que reivindicam.