sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Varoufakis prefere ficar a dever ao FMI do que não pagar salários

O ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, afirmou na noite de segunda-feira que "prefere um incumprimento da Grécia com o FMI do que com os salários", mas antecipou que está para breve um acordo com os credores. 

(Reuters/ Arquivo)

"Penso que estamos muito próximos de um acordo" com os credores, "talvez dentro de uma semana", afirmou o ministro, durante uma entrevista concedida à cadeia de televisão grega Star, indicando que "uma rutura com os credores não está nos nossos projetos", tal como "uma mudança de moeda". 

Ao mesmo tempo, com o país a parecer à beira do precipício financeiro, com um pagamento agendado ao Fundo Monetário Internacional (FMI) de 1,5 mil milhões de euros em junho, e outro tanto em salários e pensões aos funcionários públicos e reformados gregos, o ministro declarou que "as pensões e salários eram sagrados (...) uma prioridade absoluta" e que "prefere um incumprimento com o FMI em vez de com os salários". 

Questionado sobre a capacidade de o país pagar tudo isto em junho, Varoufakis lembrou que, "no mês atual, não era certo que (a Grécia) pudesse reembolsar 750 milhões de euros ao FMI", em 12 de maio, o que acabou por fazer.  

Confirmou também as notícias de fim de semana que indicavam que o primeiro-ministro, Alexis Tsipras, tinha prevenido os credores da Grécia deste risco, em carta enviada pouco antes deste prazo limite do dia 12. 

Varoufakis manifestou-se certo que a Grécia "não vai chegar ao ponto de não poder pagar ao FMI". 

O ministro reprovou aos credores "que não levem novidades para as discussões", ao contrário do que faz a Grécia, comparou. 

Varoufakis também revelou uma das ideias do governo de Atenas, apresentada aos credores, para procurar melhorar a cobrança do imposto sobre o valor acrescentado (IVA), que é a de instaurar uma taxa em três pontos percentuais superior em relação à que é aplicada a pagamentos com cartão. 

Permanecem diferenças nas negociações em relação às modalidades de mudança das reformas e do mercado de trabalho, reafirmou Varoufakis.


Lusa


  • Autarca e duas jornalistas mortas a tiro na Finlândia 

    Mundo

    A presidente da Câmara de Imatra, na Finlândia, e duas jornalistas foram mortas a tiro na noite passada, na pequena cidade do sudeste do país. O incidente aconteceu junto a um restaurante e a polícia chegou ao local pouco depois dos disparos. Um suspeito de 23 anos já foi detido.

  • Avião da Qatar Airways aterra de emergência nas Lajes
    0:47

    País

    Aterrou de emergência nos Açores, esta manhã, um avião da Qatar Airways. A turbulência obrigou à manobra que causou pelo menos 10 feridos nos passageiro do avião que fazia ligação de Washington para Doha, capital do Qatar, e foi desviado para a base aérea das Lajes. Os passageiros desembarcaram, como registou no Twitter um jornalista da Al-Jazzera que seguia a bordo. Segundo este depoimento, uma pessoa foi levada para o hospital com problemas cardíacos.

  • Óscar do turismo para empresa que gere património de Sintra
    1:51
  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.