sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Grécia não vai ser capaz de pagar em junho os 1.600 M€ ao FMI

O ministro do Interior grego, Nikos Vutsis, disse hoje que a Grécia não será capaz de pagar ao Fundo Monetário Internacional (FMI) o empréstimo de 1.600 milhões de euros que vence em junho.

O mercado está em ponto morto e as injeções de liquidez não permitem reanimá-lo, segundo o estudo. (Arquivo)

O mercado está em ponto morto e as injeções de liquidez não permitem reanimá-lo, segundo o estudo. (Arquivo)

© Kostas Tsironis / Reuters

A Grécia acordou pagar em quatro tranches 1.600 milhões de euros de 5 a 19 de junho mas, segundo Nikos Vutsis, "este dinheiro não será pago, porque não há. Isso é conhecido e discutido com base num otimismo cauteloso de que haverá acordo que permita ao país respirar".

Em entrevista à estação de televisão privada Mega, o ministro reconheceu que existem divergências sobre algumas questões e que, por isso, neste momento não será possível chegar a um acordo. No entanto, ressalvou que a existência de um pacto irá "incentivar o país".

O ministro disse ainda que o calendário das negociações se poderá estender até o final de junho ou início de julho.

Ainda de acordo com a televisão "Mega", o primeiro-ministro Alexis Tsipras transferiu para o secretário do Tesouro americano, Jack Lew, a incapacidade do governo em lidar com os pagamentos do FMI devido em junho.

No final de fevereiro, os parceiros da zona do euro concordaram com a Grécia estender até junho o segundo resgate para chegar a acordo sobre as reformas que o país deve fazer para poder continuar a receber financiamento.

A oposição a cortes nos salários e pensões, a liberalização total do mercado de trabalho e a reforma tributária são alguns dos temas que geram grande desacordo com as instituições (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e FMI).


Lusa
  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.

  • "Estar na Web Summit foi dizer em empreendedorês: estamos vivos, estamos aqui!"

    Web Summit

    No seguimento da entrevista à blogger Sara Riobom, que conhecemos durante a WebSummit, trazemos a história de outro jovem português (que não trabalha sozinho) que esteve no evento, em Lisboa, a promover a sua startup. Quis o acaso e as peripécias do direto e do destino que acabasse por receber um visitante ilustre e especial no seu stand: nada mais nada menos do que o primeiro-ministro, António Costa. Recentemente estiveram no Shark Tank, onde conseguiram captar a atenção de um dos “tubarões” do programa da SIC. Mas o que queremos saber é…

    Martim Mariano