sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Livro de Varoufakis aponta dólar e Wall Street como origens da crise atual

Yanis Varoufakis, ministro das Finanças da Grécia, no seu livro "O minotauro global", que é publicado hoje, afirma que "as causas [da situação atual] têm origem na crise de 1929, passando pela década de 1970", quando "nasceu o 'minotauro global'".

Geert Vanden Wijngaert

Em comunicado, a Bertrand Editora, que chancela a obra, afirma que, "neste livro memorável e provocador, Yanis Varoufakis desconstrói o mito de que o financiamento, a regulação pouco eficaz dos bancos, a ganância e a globalização foram as principais causas da crise global que se abateu nos últimos anos".

"Em vez disso, Varoufakis afirma que as causas têm origem na crise de 1929, passando pela década de 1970: o período em que nasceu o 'minotauro global'", afirma a editora, o dólar e Wall Street, como núcleos financeiros mundiais.

Segundo a mesma fonte, tal "como os gregos mantiveram um ciclo contínuo de tributos à besta de Creta [segundo a Mitologia clássica], também a Europa e o resto do mundo começaram a enviar incríveis quantidades de capital para a América e Wall Street".

"Assim, o minotauro global tornou-se o 'motor' que puxou a economia mundial desde o começo da década de 1980 até ao colapso financeiro de 2008", afirma a mesma fonte sobre o livro de Varoufakis.

"A profunda crise europeia que hoje sentimos é apenas um dos sintomas inevitáveis relacionados com o enfraquecimento do minotauro, de um 'sistema' global que se encontra tão insustentável como desequilibrado; indo além disto, Varoufakis expõe as opções disponíveis para que consigamos dar um pouco de racionalidade numa ordem económica global altamente irracional", remata a editora sobre o ensaio do atual ministro das Finanças da Grécia.

O ensaio económico totaliza 288 páginas e foi traduzido por Luís Santos, da João Quina Edições.

Yanis Varoufakis, 53 anos, estudou em Inglaterra, onde frequentou as universidades de Birmingham e de Essex. Em 1987 doutorou-se em Economia em Essex, e posteriormente, lecionou em várias universidades britânicas. Entre 1988 e 2000 deu aulas na Universidade de Sydney, na Austrália. Em 2000 regressou à Grécia para assumir a cátedra de Teoria Económica na Universidade de Atenas.

Entre janeiro de 2004 e dezembro de 2006 tornou-se conselheiro económico de George Papandreou e, em janeiro de 2013, foi convidado para dar aulas na Lyndon B. Johnson School of Public Affairs, na Universidade do Texas, nos Estados Unidos. Yanis Varoufakis é um "académico com particular reconhecimento no domínio da Teoria dos Jogos e da Economia Política, e tornou-se comentador e analista, entre outros meios de comunicação social, da BBC, CNN, Sky News e Bloomberg. 

Desde janeiro último, na sequência da vitória do Syriza nas legislativas gregas, Varoufakis ocupa o cargo de ministro das Finanças do governo chefiado por Alexis Tsipras.

Lusa
  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.