sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Varoufakis diz que "o que fazem com a Grécia tem um nome: terrorismo"

O ministro grego das Finanças, Yanis Varoufakis, disse hoje, numa entrevista ao jornal El Mundo, que aquilo que estão a fazer com a Grécia "tem um nome: terrorismo". 

© Alkis Konstantinidis / Reuter

Varoufakis afirma, na mesma entrevista, que se o 'sim' vencer no referendo de domingo, a democracia estará em perigo, pois o medo terá vencido.

O governante acrescenta que se ganhar o 'sim' no referendo, que chamará no domingo os gregos a pronunciarem-se sobre se querem que o Governo aceite as condições impostas pelos credores para o país, um futuro acordo será "absolutamente desastroso", enquanto se ganhar o 'não', o acordo "não será fantástico, mas não tão mau".

Caso ganhe o 'não', insiste, o primeiro-ministro grego viajará logo na segunda-feira para Bruxelas e alcançará "um acordo melhor".

No entanto, o ministro das Finanças mostra-se absolutamente convencido de que, independentemente do resultado do referendo, na segunda-feira haverá um acordo.

O ministro garante também que os bancos do país abrirão na terça-feira, depois do encerramento a que foram obrigados após a recusa da Europa de uma "pequena extensão do resgate".

Segundo Varoufakis, já há cinco meses havia um plano "para derrubar um Governo que não se deixa chantagear pelo "'establishment' [máquina política] europeu".

O problema "é que a União Europeia não gosta de democracia", diz Varoufakis, contando que lhe disseram "sem reservas" que a proposta de acordo "era um assunto muito complicado para deixar a decisão final nas mãos do povo grego". 

 

JMG // MSF 

Lusa/fim

 

NewsSubjects:- Economia, Negócios e Finanças - União Europeia - Política - Partidos e movimentos - Serviços financeiros - Macroeconomia - Economia (geral) - Ajuda externa - banca - conjuntura 

20150704T092032

  • Mais de 50 milhões de italianos decidem futuro do país
    1:43

    Mundo

    Este domingo, está nas mãos de mais de 50 milhões de eleitores italianos o futuro do país. Mais do que um voto à reforma constitucional, o referendo terá consequências políticas diretas no Governo italiano. As urnas fecham às 23h00, 22h00 em Lisboa. Os primeiros resultados são esperados meia hora depois.