sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Bancos gregos permanecem encerrados até quarta-feira

Os bancos gregos vão permanecer encerrados até quarta-feira, mantendo-se o limite de levantamento diário de 60 euros por indivíduo, refere a agência de notícias grega, citando fonte oficial. 

Os bancos gregos estão fechados desde 29 de junho.

Os bancos gregos estão fechados desde 29 de junho.

© Christian Hartmann / Reuters

De acordo com a France Presse, que cita a agência grega, novos desenvolvimentos nesta matéria deverão depender das decisões do Banco Central Europeu (BCE), que tem agendada para esta tarde uma teleconferência dos governadores da instituição para discutir a linha de liquidez à banca grega para as 16:00 GMT (17:00 em Lisboa).

De acordo com um decreto sobre o controlo de capitais publicado há uma semana, em Atenas, os bancos da Grécia iriam permanecer encerrados até 06 de julho, no dia seguinte ao referendo, estando o levantamento de dinheiro limitado a 60 euros diários.

O documento, assinado há uma semana pelo Presidente grego, Prokopis Pavlopoulos, e pelo primeiro-ministro, Alexis Tsipras, refere "a extremamente urgente necessidade de proteger o sistema financeiro e a economia grega devido à falta de liquidez provocada pela decisão tomada pelo Eurogrupo".

As medidas radicais foram impostas para proteger o sistema bancário da ameaça de um pânico generalizado face à perspetiva de incumprimento pela Grécia e ao impacto do anúncio do referendo sobre as negociações com os credores. 

Os gregos rejeitaram no domingo, em referendo, por ampla maioria (61,34%) as propostas dos credores internacionais, (instituições europeias e Fundo Monetário Internacional), agravando o clima de incerteza na zona euro.

Hoje, o ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, decidiu demitir-se, a pedido do primeiro-ministro grego e para o final do dia está agendado um encontro entre o chefe de Estado francês e a chanceler alemã, Angela Merkel, para discutir a crise atual.

Na sequência dos resultados do referendo, está também agendada para terça-feira uma cimeira extraordinária da zona euro, antecedida de uma reunião do Eurogrupo.

Lusa

  • As mulheres na clandestinidade durante o Estado Novo
    7:32

    País

    Não se sabe quantas mulheres portuguesas viveram na clandestinidade durante o Estado Novo, mas estiveram sempre lado a lado com os homens que trabalhavam para o Partido Comunista na luta contra a ditadura. Aceitavam serem separadas dos filhos e mudarem de identidade várias vezes ao longo dos anos. A história de algumas destas mulheres estão agora reunidas num livro que acaba de ser lançado.