sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Tsipras agradece a Varoufakis o "incansável esforço"

O primeiro-ministro grego agradeceu ao ministro das Finanças demissionário, Yanis Varoufakis, o "incansável esforço" na defesa dos interesses da Grécia nas negociações com os parceiros da UE, disse o porta-voz do executivo, Gavriil Sakelaridis. 

(Arquivo)

(Arquivo)

© Alkis Konstantinidis / Reuter

Varoufakis anunciou a demissão para facilitar um acordo com os credores e, depois da reunião de Alexis Tsipras com os líderes dos partidos políticos gregos, com exceção dos neo-nazis, que está a decorrer agora no palácio presidencial, o governo vai anunciar o sucessor, esclareceu. 

"O primeiro-ministro sente a necessidade de agradecer o incansável esforço (de Varoufakis) para defender a posição e os interesses do governo e do povo grego em condições muito difíceis", sublinhou o porta-voz. 

Sakelaridis reconheceu o "papel de líder" que Varoufakis desempenhou nas negociações com os credores desde que o partido Syriza ganhou as eleições gerais em 25 de janeiro. 

Desde então, Varoufakis tem sido a figura mais controversa no estrangeiro e nas reuniões do Eurogrupo muitos ministros queixavam-se, mais ou menos abertamente, da dificuldade de negociar com o titular das Finanças grego. 

Em abril, Tsipras decidiu reduzir o papel de Varoufakis nas negociações em Bruxelas e deixou de facto o comando das negociações a cargo do vice-ministro das Relações Internacionais Económicas, Euclidis Tsakalotos. 

Em comunicado, Varoufakis explica ter sido informado "da preferência de alguns membros do Eurogrupo e de 'parceiros' associados (...) pela (sua) ausência das reuniões, uma ideia que o primeiro-ministro considerou potencialmente útil na obtenção de um acordo". 

Esta escolha de Tsipras, reforçado com a vitória do "não" com 61,3% dos votos no referendo sobre as propostas dos credores, surge algumas horas após um encontro, em Paris, da chanceler alemã, Angela Merkel, e do presidente francês, François Hollande, numa altura em que a continuação da Grécia na zona euro continua a ser incerta. 

Atenas está convencida de que as negociações sobre as reformas e as medidas orçamentais, debatidas com a UE e o Fundo Monetário Internacional nos últimos cinco meses, podem ser retomadas a partir de hoje. 

 

Lusa

  • Varoufakis anuncia demissão

    Crise na Grécia

    O ministro das Finanças grego anunciou hoje a sua demissão, um dia depois do "não" às condições impostas pelos credores ter ganho no referendo na Grécia. Varoufakis diz que é considerado "indesejável" por alguns no Eurogrupo. O nome do sucessor de Varoufakis deverá ser apresentado esta manhã.

  • Demissão de Varoufakis "é uma meia surpresa"
    5:14

    Economia

    O ministro das Finanças grego anunciou a sua demissão, na manhã seguinte ao referendo da Grécia. O enviado da SIC a Atenas, Anselmo Crespo, diz que a decisão de Varoufakis "é uma meia supresa", uma vez que muitos já esperam que saísse do Executivo, qualquer que fosse o resultado.

  • Novo dia de protestos contra expropriações na ilha do Farol
    2:30

    País

    A sociedade Polis Ria Formosa concluiu a tomada de posse das construções identificadas como ilegais na ilha do Farol, na Ria Formosa, em Faro. No segundo dia da operação, sob fortes protestos da população, os técnicos da Polis, escoltados pela Polícia Marítima, expropriaram hoje mais 18 construções.

  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.

  • Zeca Afonso morreu há 30 anos
    1:11
  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • "Isto é uma mentira e tem carimbo de Estado"
    2:12

    Opinião

    O preço das botijas de gás em Portugal duplicou nos últimos 15 anos. José Gomes Ferreira esteve no Jornal da Noite, da SIC, onde explicou este aumento, lembrando que a classe política prometeu que se houvesse mais empresas a operar no mercado, os preços desciam. Contudo, José Gomes Ferreira diz que "isto é uma mentira e tem carimbo de Estado". O Diretor-Adjunto de Informação SIC explicou que como o mercado é livre, os operadores vendem aos preços mais altos que podem, deste modo os preços não variam muito entre uns e outros.

    José Gomes Ferreira