sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Tsipras agradece a Varoufakis o "incansável esforço"

O primeiro-ministro grego agradeceu ao ministro das Finanças demissionário, Yanis Varoufakis, o "incansável esforço" na defesa dos interesses da Grécia nas negociações com os parceiros da UE, disse o porta-voz do executivo, Gavriil Sakelaridis. 

(Arquivo)

(Arquivo)

© Alkis Konstantinidis / Reuter

Varoufakis anunciou a demissão para facilitar um acordo com os credores e, depois da reunião de Alexis Tsipras com os líderes dos partidos políticos gregos, com exceção dos neo-nazis, que está a decorrer agora no palácio presidencial, o governo vai anunciar o sucessor, esclareceu. 

"O primeiro-ministro sente a necessidade de agradecer o incansável esforço (de Varoufakis) para defender a posição e os interesses do governo e do povo grego em condições muito difíceis", sublinhou o porta-voz. 

Sakelaridis reconheceu o "papel de líder" que Varoufakis desempenhou nas negociações com os credores desde que o partido Syriza ganhou as eleições gerais em 25 de janeiro. 

Desde então, Varoufakis tem sido a figura mais controversa no estrangeiro e nas reuniões do Eurogrupo muitos ministros queixavam-se, mais ou menos abertamente, da dificuldade de negociar com o titular das Finanças grego. 

Em abril, Tsipras decidiu reduzir o papel de Varoufakis nas negociações em Bruxelas e deixou de facto o comando das negociações a cargo do vice-ministro das Relações Internacionais Económicas, Euclidis Tsakalotos. 

Em comunicado, Varoufakis explica ter sido informado "da preferência de alguns membros do Eurogrupo e de 'parceiros' associados (...) pela (sua) ausência das reuniões, uma ideia que o primeiro-ministro considerou potencialmente útil na obtenção de um acordo". 

Esta escolha de Tsipras, reforçado com a vitória do "não" com 61,3% dos votos no referendo sobre as propostas dos credores, surge algumas horas após um encontro, em Paris, da chanceler alemã, Angela Merkel, e do presidente francês, François Hollande, numa altura em que a continuação da Grécia na zona euro continua a ser incerta. 

Atenas está convencida de que as negociações sobre as reformas e as medidas orçamentais, debatidas com a UE e o Fundo Monetário Internacional nos últimos cinco meses, podem ser retomadas a partir de hoje. 

 

Lusa

  • Varoufakis anuncia demissão

    Crise na Grécia

    O ministro das Finanças grego anunciou hoje a sua demissão, um dia depois do "não" às condições impostas pelos credores ter ganho no referendo na Grécia. Varoufakis diz que é considerado "indesejável" por alguns no Eurogrupo. O nome do sucessor de Varoufakis deverá ser apresentado esta manhã.

  • Demissão de Varoufakis "é uma meia surpresa"
    5:14

    Economia

    O ministro das Finanças grego anunciou a sua demissão, na manhã seguinte ao referendo da Grécia. O enviado da SIC a Atenas, Anselmo Crespo, diz que a decisão de Varoufakis "é uma meia supresa", uma vez que muitos já esperam que saísse do Executivo, qualquer que fosse o resultado.

  • Admissão de efetivos nas Forças Armadas aquém do pedido pelas chefias
    1:42

    País

    O Ministério das Finanças autorizou a admissão de mais efetivos nas forças armadas, este ano mas a integração fica muito abaixo do número pedido pelas chefias militares. Mário Centeno só terá autorizado a integração de cerca de três mil militares em vez das cinco mil vagas propostas pelas chefias do Exército, Força Aérea e Marinha.

  • Pyongyang acusa Washington de atirar "achas para a fogueira"
    1:47

    Mundo

    A Coreia do Sul e os Estados Unidos iniciaram esta segunda-feira exercícios militares conjuntos. As manobras militares procuram ensaiar respostas a uma hipotética invasão da Coreia do Norte. Pyongyang já reagiu e diz que Washington está a atirar "achas para a fogueira". 

  • "É muito importante que os EUA mostrem determinação política e militar"
    0:50

    Mundo

    Os exércitos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos iniciaram hoje as manobras anuais numa altura marcada pela recente escalada de tensão entre Pyongyang e Washington. Para Miguel Monjardino, comentador da SIC, estes exercícios militares são encarados como uma provocação para a Coreia do Norte. Monjardino defende que é importante que os EUA mostrem determinação no atual clima de tensão nuclear.

  • China prepara-se para inaugurar comboio mais rápido do mundo
    1:08
  • Morreu o rei da comédia
    2:08

    Cultura

    Um dos grandes nomes do humor norte-americano morreu ontem, aos 91 anos. Jerry Lewis era comediante, ator, argumentista, cantor e realizador. Considerado o rei da comédia, Lewis influenciou diferentes gerações de comediantes e foi defensor de várias causas humanitárias, entre as quais a distrofia muscular.

  • A insólita entrevista de Jerry Lewis que se tornou viral
    2:39

    Cultura

    Jerry Lewis concedeu no início deste ano uma entrevista insólita que se tornou viral nas redes sociais. O comediante decidiu, pura e simplesmente, não colaborar com o entrevistado. Lewis tinha na altura 90 anos e continuava a trabalhar, tendo participado no filme "Max Rose", em 2016.