sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

BCE aumenta linha de emergência à banca grega com mais 900 milhões

O Banco Central Europeu (BCE) aumentou hoje em 900 milhões de euros o limite máximo da linha de liquidez de emergência utilizada pelos bancos gregos, noticiou a agência Bloomberg citado fontes próximas do processo.

A estrutura de 14 metros, azul e amarela, está a ser limpa e vão ser colocados novos painéis e luzes.

A estrutura de 14 metros, azul e amarela, está a ser limpa e vão ser colocados novos painéis e luzes.

© Ralph Orlowski / Reuters

O conselho de governadores do BCE decidiu, numa conferência por telefone, aprovar o aumento, numa altura em que a Grécia se prepara para votar hoje à noite um segundo pacote com medidas de austeridade exigidas pelos credores.

Segundo a Bloomberg, o teto desta linha de emergência estava em 89,5 mil milhões de euros antes deste aumento, o segundo desde finais de junho. O presidente do BCE, Mario Draghi, anunciou na semana passada um primeiro acréscimo de 900 milhões de euros na linha de emergência, antes da reabertura na segunda-feira dos bancos gregos, encerrados desde 29 de junho, mas o controlo de capitais mantém-se.

Os bancos gregos dependem deste mecanismo para ter liquidez dado que não podem financiar-se através de operações normais de refinanciamento do BCE, desde que em fevereiro a instituição liderada por Mario Draghi deixou de aceitar dívida grega como garantia.

Com Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.