sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

BCE aumenta linha de emergência à banca grega com mais 900 milhões

O Banco Central Europeu (BCE) aumentou hoje em 900 milhões de euros o limite máximo da linha de liquidez de emergência utilizada pelos bancos gregos, noticiou a agência Bloomberg citado fontes próximas do processo.

A estrutura de 14 metros, azul e amarela, está a ser limpa e vão ser colocados novos painéis e luzes.

A estrutura de 14 metros, azul e amarela, está a ser limpa e vão ser colocados novos painéis e luzes.

© Ralph Orlowski / Reuters

O conselho de governadores do BCE decidiu, numa conferência por telefone, aprovar o aumento, numa altura em que a Grécia se prepara para votar hoje à noite um segundo pacote com medidas de austeridade exigidas pelos credores.

Segundo a Bloomberg, o teto desta linha de emergência estava em 89,5 mil milhões de euros antes deste aumento, o segundo desde finais de junho. O presidente do BCE, Mario Draghi, anunciou na semana passada um primeiro acréscimo de 900 milhões de euros na linha de emergência, antes da reabertura na segunda-feira dos bancos gregos, encerrados desde 29 de junho, mas o controlo de capitais mantém-se.

Os bancos gregos dependem deste mecanismo para ter liquidez dado que não podem financiar-se através de operações normais de refinanciamento do BCE, desde que em fevereiro a instituição liderada por Mario Draghi deixou de aceitar dívida grega como garantia.

Com Lusa

  • Escritor e filólogo Frederico Lourenço distinguido com o Prémio Pessoa 2016

    Cultura

    O escritor, tradutor, professor universitário Frederico Lourenço foi distinguido com o Prémio Pessoa 2016. O anúncio foi feito hoje pelo presidente do júri, Francisco Pinto Balsemão, no Palácio de Seteais, em Sintra, sublinhando que a atividade de Frederico Lourenço tem como "traço singular" ter oferecido "à língua portuguesa as grandes obras de literatura clássica".

  • Governo garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo de ajuda alimentar
    1:18

    País

    O ministro da Solidariedade e Segurança Social garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo europeu de ajuda alimentar. Vieira da Silva respondeu, esta manhã, à notícia avançada pelo Jornal de Notícias que dava conta de que, este ano, o país teria desperdiçado 28 milhões de euros de um fundo europeu porque o programa ainda não está operacional. O ministro garante que o programa vai ser executado em 2017 e que este ano serviu para tomar medidas no sentido dessa implementação. Vieira da Silva assegura também que o montante disponível para o programa não foi desperdiçado e vai poder ser usado.

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Explosão no Cairo faz seis mortos

    Mundo

    Seis pessoas morreram hoje numa explosão junto a um posto de controlo da polícia no Cairo, indicaram os meios de comunicação social e responsáveis egípcios.