sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Parlamento alemão vota na quarta-feira terceiro plano de resgate à Grécia

O parlamento alemão vai votar na quarta-feira o terceiro plano de ajuda internacional à Grécia, já aprovado pelos ministros das Finanças da zona euro e pelo parlamento grego, disse no sábado o presidente da câmara baixa do parlamento, Norbert Lammert.

© Christian Hartmann / Reuters

Os 631 representantes eleitos do Bundestag, atualmente de férias, vão ser convocados para outra sessão especial, a segunda depois de a 17 de julho, terem dado o seu acordo de princípio de um terceiro pacote de ajuda.

Nas fileiras do partido conservador da chanceler Angela Merkel, o descontentamento aumentou nas últimas semanas e alguns membros estão relutantes em conceder mais ajuda financeira à Grécia no valor de 86 mil milhões de euros, apesar das condições drásticas impostas pelos países europeus.

Na votação de 17 de julho, 60 dos 311 deputados que compõem o grupo parlamentar da CDU e do seu aliado bávaro CSU, tinham dito que não. Na votação anterior de fevereiro para estender o programa de ajuda ao país helénico, apenas 29 disseram que não.

No entanto, mesmo que os deputados expressem a sua insatisfação, têm um hábito na hora de votar de apoiar Angela Merkel.

A luz verde do Bundestag deverá, em qualquer dos casos, acontecer porque a maioria é composta pela "grande coligação" (504 de 631 deputados), aprovando assim um novo auxílio à Grécia.

Os ministros das Finanças da zona euro deram na sexta-feira luz verde ao terceiro plano de resgate à Grécia, o que dará ao país o "oxigénio" financeiro de que necessita, mas através de novos e dolorosos sacrifícios para os gregos.

Outros parlamentos nacionais, Holanda e Áustria, também têm que decidir a sua votação, já aprovada pelo parlamento grego na sexta-feira após uma maratona.

Lusa

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.