sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Parlamento alemão aprova terceiro resgate à Grécia por ampla maioria

O parlamento alemão aprovou hoje o terceiro resgate à Grécia com 454 votos a favor, 113 contra e 18 abstenções. O terceiro resgate da zona euro à Grécia deverá ascender a 86 mil milhões de euros.

© Axel Schmidt / Reuters


O terceiro resgate da zona euro à Grécia deverá ascender a 86 mil milhões de euros.

O debate desta manhã foi aberto pelo ministro das Finanças, Wolfgang Schäuble, que pediu apoio ao programa afirmando que só assim a economia grega poderá voltar ao crescimento.

Os ajustes, frisou, "são irrenunciáveis, sobretudo dentro da União Monetária".

Na votação alemã repetiu-se o que ocorreu a 17 de julho, quando o Bundestag aprovou a abertura de negociações com Atenas, com cerca de 60 deputados da União Democrática Cristã (CDU) de Angela Merkel a rejeitar a proposta.

Apesar disso, em ambas as ocasiões as propostas foram aprovadas, uma vez que a CDU e o parceiro de coligação, o Partido Social-Democrata (SPD) de Sigmar Gabriel, detêm 80% dos assentos parlamentares.

Do lado da oposição, os Verdes apoiaram o resgate, enquanto A Esquerda de dividiu entre votos contra e abstenções.

O resgate tem ainda de ser aprovado numa votação marcada para hoje pelo parlamento da Holanda, um dos países, com a Alemanha, Áustria, Finlândia e Estónia, onde o programa tem de ser submetido a votação parlamentar.

Lusa

  • "Seria irresponsável não aproveitar a oportunidade de um recomeço na Grécia"
    0:33

    Mundo

    O parlamento alemão aprovou o terceiro resgate à Grécia. Também a Holanda deve fazer hoje o mesmo. São os últimos parceiros europeus a darem a luz verde à ajuda financeira internacional. Perante o Parlamento de Berlim, o Ministro das Finanças admitiu que não há garantias de que este terceiro resgate vá funcionar mas disse que a Grécia merece mais uma oportunidade.

  • Catalunha vs Espanha
    29:35

    Grande Reportagem SIC

    2017 ficará como o ano da Catalunha e de como a região espanhola foi falada em todo o mundo, por causa do grito de independência que não aconteceu. O jornalista Henrique Cymerman esteve na Catalunha e foi um dos poucos repórteres do mundo que conseguiu chegar ao esconderijo do presidente demissionário do Governo catalão, Carles Puigdemont, em Bruxelas.