sicnot

Perfil

Guterres na ONU

Guterres na ONU

Guterres na ONU

Assembleia-Geral da ONU confirma hoje Guterres como novo secretário-geral

A Assembleia-geral das Nações Unidas reúne-se hoje em plenário para votar e, cumprindo todas as expetativas, para confirmar por aclamação o ex-primeiro-ministro português António Guterres como novo secretário-geral da organização internacional.

Na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, estarão António Guterres - escolhido para o cargo pelo conselho de Segurança da ONU -, que fará um discurso diante dos 193 Estados-membros da organização após a votação de confirmação, e o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, em representação do Governo português.

Depois do caminho percorrido pela candidatura de Guterres, o chefe da diplomacia portuguesa afirmou que o ex-Alto Comissário da ONU para os Refugiados "está completamente à vontade" para enfrentar os importantes desafios que implicam os "três grandes pilares das Nações Unidas": Segurança e Paz, Desenvolvimento e Direitos Humanos.

"Em qualquer um deles, António Guterres está completamente à vontade e, portanto, não se espera um secretário-geral das Nações Unidas que só esteja focado nas questões humanitárias. Estará certamente focado nas questões humanitárias, porque elas são das mais importantes na cena internacional de hoje, mas também assumirá as responsabilidades que lhe cabem como secretário-geral, seja na área do Desenvolvimento e da Cooperação para o Desenvolvimento, seja na área da Paz e da Segurança que é uma das áreas essenciais das Nações Unidas", referiu esta semana o ministro português em declarações à Lusa.

Após seis votações, o Conselho de Segurança da ONU recomendou formalmente o ex-primeiro-ministro português para o cargo de secretário-geral em 05 de outubro.

Ao longo dos últimos dias foram conhecidos alguns pormenores dos bastidores das votações informais no Conselho de Segurança da ONU, nomeadamente as posições de alguns dos cinco membros permanentes do organismo (com poder de veto), fundamentais para viabilizar o nome do sucessor do sul-coreano Ban Ki-moon.

Foi o caso dos Estados Unidos que apoiaram "desde o início" a candidatura de Guterres, como indicou esta semana Augusto Santos Silva, e da China, cujo primeiro-ministro, Li Keqiang, referiu que Pequim "facilitou" a nomeação do português.

Para o chefe da diplomacia portuguesa, um apoio "maioritário esmagador desde o princípio" foi "um dos segredos" e "um dos recursos" da candidatura de Guterres, bem como tornou o processo "exemplar" do ponto de vista da sua conclusão.

Ainda à Lusa, Santos Silva destacou um dos grandes motes que marcou a candidatura do ex-governante português: a própria pessoa de António Guterres.

"Um candidato com conhecimento do mundo e das Nações Unidas em particular, com experiência política quer nacional como internacional, e com competências, com capacidades. Um candidato para liderar as Nações Unidas", frisou o ministro, realçando ainda o tom positivo da candidatura.

"Fez sempre uma candidatura pela positiva, defendendo os seus méritos, e nunca atacando nem diminuindo nem menosprezando fosse quem fosse", concluiu.

António Guterres vai assumir a liderança das Nações Unidas por um mandato de cinco anos, de 01 de janeiro de 2017 a 31 de dezembro de 2021.

Lusa

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59