sicnot

Perfil

Guterres na ONU

"Nestas guerras não há vencedores, todos perdem"

"Nestas guerras não há vencedores, todos perdem"

António Guterres é desde hoje, oficialmente, secretário-geral da ONU. Na primeira mensagem enquanto líder das Nações Unidas, Guterres lembrou as vitimas das guerras por todo o mundo e fez um apelo à paz.

"Façamos de 2017 um ano de paz", instou o antigo primeiro-ministro português e ex-Alto Comissá rio das Nações Unidas para os Refugiados, na sua primeira mensagem como secretário-geral da ONU, intitulada "Apelo à paz".

Realçando que o compromisso para com a paz é de "hoje e todos os dias" e deve ser um "princípio orientador", Guterres confessa que é, "sobretudo, uma pergunta" que "assalta a consciência" e diz que se interroga sobre "como ajudar os milhões de seres humanos vítimas de conflitos e que sofrem enormemente em guerras que parecem não ter fim?".

Observando que na guerra "não há vencedores; todos perdem", Guterres criticou o gasto de "biliões de dólares na destruição de sociedades e economias, alimentando ciclos de desconfiança e medo que podem perpetuar-se por gerações".

O líder da maior organização do mundo nos próximos cinco anos lembrou a ameaça do terrorismo global e como "vastas regiões do planeta estão inteiramente desestabilizadas".

Para o novo secretário-geral das Nações Unidas, ultrapassar as "divergências políticas" exige solidariedade, compaixão, diálogo e respeito.

"Façamos de 2017 um ano em que todos - cidadãos, governos, dirigentes - procurem superar as suas diferenças", apelou António Guterres.

Com Lusa

  • "Teria coisas mais fáceis para fazer mas houve um impulso moral muito forte"
    28:37

    Guterres na ONU

    António Guterres entra em funções como secretário-geral da ONU a 1 de Janeiro. Em entrevista exclusiva à SIC, em Nova Iorque, Guterres classifica o conflito na Síria como um cancro à escala global. Manifesta ter orgulho em ser português e agradece o apoio de todas as forças politicas à sua candidatura. Guterres diz também que foi um impulso moral que o lançou nesta campanha, que culminou com o juramento da carta das Nações Unidas.

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.