sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Governo brasileiro pede "cautela" à imprensa

O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, pediu hoje "cautela" à imprensa, numa altura em que considera existir uma "fúria descontrolada" e que "todos os limites da racionalidade foram ultrapassados" no Brasil.

© Sergio Moraes / Reuters

"Peço cautela extra aos agentes e faço um chamamento especial à imprensa, que leva a informação às casas e à rua", escreveu Edinho Silva, num artigo publicado na edição de hoje do diário Folha de São Paulo.

O governante alertou que "só o funcionamento equilibrado das instituições, com sensibilidade para a disposição das forças sociais, pode dar-nos uma chance real de superar os abismos atuais, dados pela radicalização que assola o debate político".

"Vivemos um momento em que todos os limites da racionalidade foram ultrapassados, impulsionado por pessoas que se movem por fúria descontrolada" e por "uma raiva que não poupa cores que não sejam as suas", frisou, falando num "clima de tensão extrema".

Edinho Silva advertiu que "as democracias se enfraquecem e morrem quando a intolerância escala níveis sucessivos de ódio e de vontade de exterminar o que lhe é diferente", acrescentando que "os sinais de alertas estão acesos e, por isso, é preciso cuidado máximo".

O governante lembrou as "lições do passado", dando o exemplo de 1964, ano em que "o vulcão da intolerância encontrou a predisposição militar para o golpe".

"Em 1954, o suicídio de Getúlio Vargas [ex-Presidente] nos ensinou que mesmo os gestos extremados de renúncia não cancelam ajustes de contas só contornáveis com a sabedoria essencial das forças que se confrontam", acrescentou.

O político defendeu também um "plano pactuado de reformas" que envolva as forças políticas e as instituições, avisando: "com um lado acreditando que pode jogar o outro para fora da embarcação, ou esmagá-lo, não chegaremos a lugar algum".

Edinho Silva acusou ainda a oposição, movida por "intolerância e o interesse meramente político", de querer impedir que o ex-Presidente Lula da Silva assuma o cargo de ministro da Casa Civil.

Lula da Silva foi nomeado ministro - embora nesta altura não ocupe o cargo devido a decisões judiciais - na passada quarta-feira, algo encarado por alguns como uma manobra política para permitir ao ex-chefe de Estado, investigado no âmbito da Operação Lava Jato, ter foro privilegiado na justiça.

A Operação Lava Jato investiga um esquema de corrupção que envolve várias empresas, incluindo a petrolífera estatal Petrobras.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa. A Direção-Geral de Saúde vai divulgar ainda esta terça-feira as normas de orientação clínica para que os médicos possam lidar da melhor maneira com este surto.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Incêndio num estádio em Xangai destrói parte da bancada

    Mundo

    O Estádio Hongkou da equipa chinesa Shanghai Shenhua foi atingido esta terça-feira por um incêndio que acabou por danificar parte da bancada e algumas salas no interior da infraestrutura. Para o local, foi enviada uma equipa de bombeiros que conseguiu controlar as chamas.