sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Autoridades brasileiras querem extradição de Raul Schmidt

A Procuradoria-Geral da República disse hoje que as autoridades brasileiras querem extraditar o cidadão luso-brasileiro Raul Schmidt, detido em Lisboa no âmbito da cooperação judiciária internacional na Operação Lava Jato.

Raul Felippe Schmidt Júnior numa imagem de arquivo

Raul Felippe Schmidt Júnior numa imagem de arquivo

Em comunicado, a PGR, sem indicar o nome do detido, explicou que a operação que levou à detenção de Raul Schmidt num apartamento de luxo no centro de Lisboa envolveu diversas diligências, designadamente buscas, e que "foram acompanhadas por uma equipa do Ministério Público brasileiro".

Raul Schmidt, sócio de um antigo diretor da Petrobrás, foi detido pela Polícia Judiciária no âmbito do cumprimento de uma carta rogatória relacionada com a Operação Lava Jato, que investiga crimes económico-financeiros no Brasil.

A PGR adianta que já recebeu das autoridades brasileiras três cartas rogatórias relacionadas com esta matéria, mantendo-se duas em execução.

As diligências da PJ, que contaram com a presença de um juiz português e de um procurador brasileiro, foram coordenadas pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal.

Raul Schmidt foi sócio do ex-diretor da Área Internacional da Petrobrás Jorge Zelada, condenado no mês passado a 12 anos e dois meses de prisão por corrupão e branqueamento de capitais no âmmito da Operação Lava Jato.

Na altura, o juiz Sérgio Moro considerou provado que Zelada cobrou um suborno de 31 milhões de dólares à empresa Vantage Drilling Corporation para contratar um barco sonda para a petrolífera.

Os delitos foram denunciados pelo Ministério Público e investigados pela Justiça brasileira, cuja sentença assegura que Zelada "passou a dedicar-se à prática de delitos enquanto diretor da Petrobras para enriquecimento ilícito e de terceiros".

Jorge Zelada foi igualmente condenado pelo branqueamento de 12,5 milhões de dólares através de três empresas constituídas no estrangeiro.

No âmbito da investigação brasileira já tinham sido confiscados a Jorge Zelada 30,7 milhões de dólares em contas que tinha num offshore.

A Operação Lava Jato, investigada pela policia federal brasileira, começou em março de 2014 e é considerada já uma das maiores investigações a atos de corrupção e branqueamento de capitais no Brasil.

Lusa

  • Sócio de ex-diretor da Petrobras detido em Lisboa

    Crise no Brasil

    A Polícia Judiciária deteve hoje em Lisboa Raul Felippe Schmidt Júnior, no cumprimento de uma carta rogatória emitida pelas autoridades brasileiras. A detenção está relacionada com a operação Lava Jato. A Procuradoria-Geral da República disse entretanto que o Brasil quer extraditar o suspeito, que tem dupla nacionalidade.

  • Os dois anos da Operação Lava Jato

    Crise no Brasil

    A crise política no Brasil tem vindo a agravar-se nos últimos meses e a nomeação hoje de Lula da Silva para ministro da Casa Civil do Governo de Dilma Rousseff gerou mais manifestações nas ruas. A entrada de Lula da Silva no Governo é encarada como uma tentativa de o ex-Presidente escapar à justiça, dado que está a ser investigado na Operação Lava Jato, sobre um esquema de corrupção em várias empresas, incluindo a petrolífera estatal Petrobras. A Operação Lava Jato começou há exatamente dois anos.

  • O que é o caso Lava Jato
    1:43

    Crise no Brasil

    Na origem do caso que poderá levar Lula da Silva à cadeia está o processo de corrupção Lava Jato. Os suspeitos são empresários e políticos, num esquema de lavagem de dinheiro que terá movimentado cerca de 10 mil milhões de euros. Lula da Silva é suspeito de ter recebido um apartamento de luxo.

  • Passos explica porque se sentiu irritado com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o Presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas de que foi alvo.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.