sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Governo brasileiro pede ao Supremo que anule divulgação de escutas

O Governo brasileiro pediu esta segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal (STF) a anulação da decisão do juiz Sérgio Moro de retirar o sigilo às escutas telefónicas na investigação contra o ex-Presidente Lula da Silva.

© Handout . / Reuters

De acordo com a Advocacia-Geral da União (AGU), que defende o Executivo, Moro colocou "em risco a soberania nacional, em ofensa ao Estado democrático republicano".

Os atos do juiz apresentam "vício de incompetência absoluta", uma vez que só o Supremo poderia ter divulgado as gravações, por envolverem a atual Presidente do Brasil, Dilma Rousseff, advogou a AGU, citada pela imprensa brasileira.

Na prática, como as escutas já foram divulgadas, se o Supremo entender que o juiz agiu de modo indevido, o conteúdo das gravações pode ser desconsiderado como prova.

Nas escutas divulgadas, Dilma Rousseff diz a Lula da Silva que mandou alguém entregar o termo de posse do ex-Presidente como ministro da Casa Civil para o caso de ser necessário.

As declarações foram interpretadas como um possível "combinação" para garantir a imunidade de Lula, mas a Presidente esclareceu que falavam na assinatura do seu antecessor para a tomada de posse, porque ainda não era certa a presença de Lula na cerimónia.

Também esta segunda-feira, a AGU pediu ao STF para anular a decisão do ministro do Supremo Gilmar Mendes, que suspendeu a posse de Lula da Silva como ministro da Casa Civil e ainda determinou que as investigações envolvendo o ex-Presidente continuem a ser conduzidas pela Justiça do Paraná, ou seja, nas mãos do juiz Sérgio Moro.

O Governo classificou como "ilação" a tese de que o ex-chefe de Estado, investigado no âmbito da Operação Lava Jato, foi nomeado para a Casa Civil para não ser investigado pela Justiça do Paraná.

O Governo entende que Gilmar Mendes é suspeito para analisar o caso porque, entre outras questões, deu declarações prévias sobre a situação de Lula, e que a nomeação de qualquer pessoa é um ato privado de Dilma Rousseff, ainda mais em tempos de crise política.

Para a AGU, barrar a nomeação do ex-Presidente para governante porque ele é investigado seria ferir o princípio da presunção de inocência.

Lusa

  • 6 mil protestam contra Dilma e Lula em Brasília
    2:36

    Operação Lava Jato

    Mais de 6 mil pessoas protestaram ontem contra Dilma Rousseff e Lula da Silva em Brasília. Por causa dos confrontos da semana passada, a polícia montou um enorme dispositivo policial à volta do Palácio do Planalto e do Supremo Tribunal Federal, mas o protesto terminou sem incidentes.

  • Impasse político é o principal tema na sociedade brasileira
    2:09

    Operação Lava Jato

    A crise política no Brasil tem sido o principal tema de conversa dos brasileiros que dizem que a situação económica os obriga a estarem preocupados. As suspeitas de corrupção que envolvem Lula e Dilma estão a dividir a sociedade brasileira o que, por sua vez, está a preocupar as autoridades. A reportagem é dos enviados especiais da SIC.

  • "A ida do Lula para o Governo foi um disparate"
    3:01

    Miguel Sousa Tavares

    Miguel Sousa Tavares analisa a situação política do Brasil, a nomeação do ex-Presidente Lula da Silva e as manifestações a que o país tem assistido nos últimos dias. Para o comentador, a ida de Lula da Silva para o governo é um "disparate" e acha inacreditável que um juiz de 1ª instância se permita a pôr uma escuta num Presidente e a divulgá-la.

  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • "Não se pode voltar atrás, o povo de Deus confirmou a necessidade deste Papa"
    3:15
  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.

  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Primeira dama chinesa defende avanços na igualdade

    Mundo

    A primeira dama chinesa, Peng Liyuan, defendeu os avanços da China em matéria de igualdade dos géneros. Uma rara entrevista, difundida numa altura em que feministas chinesas asseguram serem controladas pela polícia face às suas campanhas.