sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Lula da Silva continua impedido de ser ministro

O Supremo Tribunal Federal brasileiro decidiu adiar o julgamento relativo à nomeação do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o cargo de ministro da Casa Civil.

© Paulo Whitaker / Reuters

Não foi definida nova data para análise do caso, pelo que Lula da Silva continua sem poder ocupar o cargo.

Todos os juízes do STF, menos Marco Aurélio de Mello, concordaram em adiar a análise do caso do ex-Presidente, alegando que há outras ações sobre o mesmo assunto pendentes.

Hoje deveriam ser julgados recursos contra ações apresentadas pelos partidos Partido da Social Democracia Brasileira e pelo Partido Popular Socialista, contra a nomeação de Lula da Silva.

Aquelas ações impediram Lula da Silva de permanecer no cargo depois do juiz do STF, Gilmar Mendes, ter suspendido a nomeação, deferindo as alegações dos dois partidos.

Para a acusação, Lula da Silva foi nomeado ministro apenas para escapar das investigações da Operação Lava Jato, que investiga um esquema de corrupção.

A defesa do ex-Presidente tentava revogar a decisão de Gilmar Mendes, mas a deliberação sobre o caso foi adiada.

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.