sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Ministra da Justiça aceita extradição de Raul Schmidt para o Brasil

A ministra da Justiça aceitou o pedido de extradição para o Brasil do cidadão luso-brasileiro Raul Schmidt, detido em Lisboa no âmbito da operação Lava Jato, cabendo agora ao Tribunal da Relação de Lisboa decidir judicialmente a questão.

Raul Felippe Schmidt Júnior numa imagem de arquivo

Raul Felippe Schmidt Júnior numa imagem de arquivo

"A ministra da Justiça decidiu pela admissibilidade do pedido de extradição do cidadão luso-brasileiro Raul Schmidt, detido pelos factos anteriores à data em que obteve a nacionalidade portuguesa", informou hoje o Ministério da Justiça em resposta enviada à agência Lusa.

A decisão de Francisca Van Dunem de aceitar o pedido de extradição de Raul Schmidt prende-se com o facto de os alegados crimes praticados pelo suspeito da Operação Lava Jato serem anteriores à aquisição de nacionalidade portuguesa.

O despacho da ministra da Justiça pôs fim à fase administrativa do processo, transitando agora o caso para a fase judicial, no Tribunal da Relação de Lisboa.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras