sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Supremo Tribunal do Brasil revoga prisão de ex-ministro acusado de corrupção

O Superior Tribunal Federal (STF) do Brasil revogou esta quarta-feira a prisão do ex-ministro Paulo Bernardo, detido no passado dia 23 na Operação Custo Brasil, que investiga esquemas de corrupção dentro do Ministério do Planeamento.

© Ueslei Marcelino / Reuters

A decisão foi tomada pelo juiz Dias Toffoli, que entendeu que na prisão de Paulo Bernardo ocorreu um constrangimento ilegal, passível de correção do STF.

Paulo Bernardo foi ministro do Planeamento na gestão do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entre março de 2005 e janeiro de 2011. Na gestão de Dilma Rousseff, foi deslocado para o Ministério das Comunicações, onde permaneceu até janeiro de 2015.

No passado dia 23 ele foi um dos alvos da Operação Custo Brasil, um desdobramento das investigações de corrupção na Petrobras que investiga o pagamento de subornos provenientes de contratos de prestação de serviços de informática no Ministério do Planeamento, no valor de 100 milhões de reais (26 milhões de euros).

Segundo membros do Ministério Público brasileiro, Paulo Bernardo e o Partido dos Trabalhadores (PT) teriam recebido parte do dinheiro desviado.

O procurador Andrey Borges de Mendonça afirmou aos jornalistas brasileiros na última quinta-feira que Paulo Bernardo teria sido beneficiado por um escritório de advocacia que recebeu cerca de 7 milhões de reais (1,8 milhões de euros) desviados do Ministério do Planeamento.

Lusa

  • Coreia do Norte foi "isolada à força"

    Mundo

    O empresário espanhol León Smit, que organiza visitas à Coreia do Norte, diz que o país foi "isolado à força", sendo "muito difícil" estabelecer relações comerciais com Pyongyang, sob o regime de Kim Jong-un.

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite