sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Julgamento de Dilma começa hoje

Os senadores brasileiros iniciam hoje julgamento final da Presidente com mandato suspenso, Dilma Rousseff, um processo de vários dias que determinará quem vai governar o país nos próximos dois anos sem ir às urnas.

A Presidente - que governou o país de 2011 a 12 de maio deste ano, quando foi temporariamente afastada para ir a julgamento - é acusada de ter cometido crime de responsabilidade ao praticar manobras fiscais para melhorar as contas públicas e assinar decretos a autorizar despesas que não estavam previstas no orçamento.

O julgamento, liderado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, começa às 09:00 (13:00 em Lisboa), estando previstos, pelo menos, dois dias para os depoimentos das testemunhas.

Na segunda-feira, às 09:00 locais, terá lugar a audiência de Dilma Rousseff e, a partir daí, não há uma hora para finalizar.

Se 54 dos 81 senadores entenderem que Dilma Rousseff cometeu crimes de responsabilidades, a Presidente perderá definitivamente o mandato e o direito a ocupar cargos públicos eletivos por oito anos, assumindo Michel Temer, atual Presidente interino, os destinos do país até às presidenciais de 2018.

Para Dilma Rousseff reassumir o cargo, a defesa vai precisar de convencer seis senadores, uma vez que, a 10 de agosto, o Senado decidiu, por 59 votos contra 21, que a denúncia era válida.

Apesar de o afastamento ser quase certo, nos últimos dias de tentativa de assegurar votos, até o próprio Presidente interino se reuniu com senadores, segundo a imprensa brasileira.

O Presidente em exercício quer ver o processo finalizado rapidamente, tendo em conta a sua viagem à China para participar no encontro do G20, com os representantes das 20 principais economias do mundo, a 04 e 05 de setembro.

Numa carta aos senadores, a Presidente com mandato suspenso pediu justiça, avisando que só o povo pode "afastar o Presidente pelo conjunto da obra" e que, se consumado o 'impeachment' (destituição), se estaria diante de "um golpe de Estado".

Se concretizado o afastamento, será o primeiro no Brasil em que um Presidente lutou até ao fim.

Em 1992, o 'impeachment' de Fernando Collor de Mello foi concluído apesar de, horas antes do julgamento final, ele ter renunciado ao cargo.

Para os próximos dias, foi montada uma estrutura apelidada localmente como 'muro' para separar grupos contra e a favor do 'impeachment' junto ao Congresso, em Brasília, sendo que a Secretaria de Segurança e Paz Social do Distrito Federal aguarda, no máximo, 30.000 manifestantes de cada lado.

Quando os senadores se reuniram para levar Dilma Rousseff a julgamento, a 09 de agosto, apenas algumas dezenas de pessoas se manifestaram na zona, ficando aquém das 5.000 esperadas pelas forças de segurança.

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC