sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Líder da CDU critica proposta do PSD sobre cortes na Segurança Social

Jerónimo de Sousa criticou hoje o eventual aumento de impostos sugerido pelo PSD como alternativa ao corte de 600 milhões de euros na Segurança Social, argumentando que "quem paga são sempre os mesmos", referindo-se aos trabalhadores e famílias.

Lusa/Arquivo

Lusa/Arquivo

TIAGO CANHOTO

"Dizem que estamos no bom caminho, que agora é que vamos crescer, agora é que se encontram soluções para os problemas estruturantes do país e, no entanto, por exemplo, enviaram para Bruxelas um chamado Plano de Estabilidade, em que claramente se afirma que é preciso cortar mais 600 milhões de euros na Segurança Social", disse o líder do PCP.

Jerónimo de Sousa, que falava durante um comício da Coligação Democrática Unitária (CDU), em Santiago do Cacém, introduzia assim o tema dos cortes no orçamento que defende prejudicarem "sempre os mesmos".

"Hoje, Passos Coelho começou a inverter o discurso conjuntamente com a ministra das Finanças", continuou, criticando que seja apresentada pelo líder do PSD a sugestão de aumentar impostos como uma de "outras soluções" alternativas aos cortes "de 600 milhões de euros na Segurança Social".

"Naturalmente que a grande conclusão que se tira, seja nos cortes na Segurança Social, seja no aumento dos impostos, quem paga são sempre os mesmos, são os trabalhadores, as suas famílias, são os pequenos e médios empresários, são todos aqueles que têm sido vítimas desta política de confisco deste Governo do PSD e do CDS", criticou.

Remetendo para o debate de quarta-feira entre o candidato do PSD, Passos Coelho, e do PS, António Costa, Jerónimo de Sousa aproveitou para responsabilizar ambos os partidos "pela situação do País".

O líder da CDU defendeu que o PS não pode "meter o conta-quilómetros a zero", considerando que "tanto um como outro têm responsabilidades na situação em que o país se encontra hoje".

"Costa afirmava de peito cheio, e com razão até, que a dívida durante estes quatro anos aumentou. É a constatação de um facto. Só que isto é metade da história. Sendo assim, e é verdade que é uma dívida insustentável, o PS não disse uma coisa importante, o que é que o PS quer fazer em relação a isso", questionou.

Ainda durante a sua intervenção, comentando as sondagens que apontam num sentido de voto de mais de 30 por cento na coligação entre o PSD e o CDS, Jerónimo de Sousa desvalorizou esses números, considerando-os "uma derrota" para os dois partidos.

"É preciso lembrar que há quatro anos eles tiveram mais de 50% de votos, o que signifca que, se agora tiverem 30 e poucos porcento, vão levar um porradão, vão perder as eleições, vão ser derrotados", asseverou.

O discurso de Jerónimo de Sousa fechou um almoço com militantes e apoiantes em Santiago do Cacém, em que participaram também Francisco Lopes, cabeça de lista da CDU pelo circulo eleitoral de Setúbal, e Heloísa Apolónia, terceiro elemento da lista do mesmo distrito.

Lusa

  • "Há uma grande diferença em relação à anterior liderança do PSD"
    14:29

    País

    O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, esteve esta quarta-feira na Edição da Noite da SIC Notícias. As novas relações com o PSD e a reprogramação do Portugal 2020 foram alguns dos temas de conversa. Pedro Marques defende que existe "uma grande diferença" entre as lideranças de Passos Coelho e Rui Rio no PSD.

    Entrevista SIC Notícias

  • Dia de homenagens e muito futebol para Marcelo em São Tomé
    3:01

    País

    No segundo dia da visita de Estado a São Tomé e Príncipe, o Presidente da República prestou homenagem às vítimas do massacre de Batepá, em 1953. Marcelo Rebelo de Sousa não pediu desculpa pela história, mas lembrou que é preciso assumir as coisas menos boas do passado. O dia terminou com o Presidente a mostrar que ainda está em forma.

    Enviados SIC

  • Patinadora enfrenta "pesadelo" nos Olímpicos

    Desporto

    A patinadora Gabriella Papadakis enfrentou na segunda-feira um dos "piores pesadelos" da sua vida, durante a estreia nos Jogos Olímpicos de Inverno, em Pyeongchang, na Coreia do Sul. Durante a apresentação, a parte de cima do vestido da francesa saiu do lugar e revelou parte do seu seio. Mas este não foi o único caso de incidentes com figurinos. Também a sul-coreana Yura Min quase ficou despida durante a sua apresentação.

    SIC

  • Casal mantinha filhos trancados sem comida

    Mundo

    Se pensava que só existia uma casa dos horrores, a da família Turpin, desengane-se. A polícia de Tucson, no estado norte-americano do Arizona, deteve na terça-feira um casal que mantinha os quatro filhos adotivos trancados em quartos separados.

    SIC

  • Pigcasso, a porca pintora que tem uma galeria de arte

    Mundo

    O nome sugere o talento da artista que vive na Cidade do Cabo, na África do Sul. Pigcasso estava prestes a morrer, quando foi resgatada por uma ativista que a ajudou a enveredar pelo caminho da pintura. Desde pequena começou a pegar em pincéis e agora é o primeiro animal do mundo com uma galeria de arte, onde já lançou a sua primeira exposição intitulada 'Oink!'.