sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Passos diz que encara portugueses com "as costas direitas e cabeça levantada"

O líder do PSD disse hoje que enquanto chefe do Governo pode encarar os portugueses com "as costas direitas e a cabeça levantada", insistindo que não é responsável, nem pode ser responsabilizado pelo tempo de 2011.

FERNANDO VELUDO

"Como chefe do Governo hoje encaro os portugueses, aqueles que gostam de mim e os que não gostam, os que votaram em mim e os que não votaram, nem em mim, nem no doutor Paulo Portas há quatro anos atrás e posso encará-los com as costas direitas e a cabeça levantada", afirmou o presidente social-democrata e primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, durante um almoço com associações, em Paço de Arcos, no concelho de Oeiras.

Naquela que foi a segunda ação de pré-campanha do dia da coligação PSD/CDS-PP, Passos Coelho voltou a "prestar contas" sobre o que aconteceu nos últimos quatro anos, lembrando o país que herdou em 2011, com um Estado em pré-bancarrota e insistindo que o atual executivo não escolheu "o ponto de partida": "não sou responsável, nem posso ser responsabilizado pelo tempo de 2011", frisou.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.