sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Marinho e Pinto critica principais partidos por não debaterem corrupção

O presidente do Partido Democrático Republicano (PDR), António Marinho e Pinto, criticou hoje, em Évora, os principais partidos políticos por considerar que não querem debater, na campanha eleitoral para as próximas legislativas, o tema da corrupção.

António Marinho e Pinto é acusado do crime de difamação por antigos funcionários da Ordem dos Advogados. (Arquivo)

António Marinho e Pinto é acusado do crime de difamação por antigos funcionários da Ordem dos Advogados. (Arquivo)

HOMEM DE GOUVEIA / Lusa

"Não querem falar da corrupção, porque isso prejudica-os. Os grandes corruptos de Portugal estão dentro do PS, do PSD e do CDS", afirmou à agência Lusa Marinho e Pinto, durante uma arruada pelas principais artérias do centro histórico de Évora.

A jornada do líder do PDR arrancou, em Portalegre, com uma arruada no centro da cidade, seguiu-se a visita a uma adega de Estremoz e um almoço com apoiantes em Évora e culmina, ao final da tarde, com uma visita às fábricas da construtora aeronáutica brasileira Embraer, na mesma cidade.

Na arruada em Évora, Marinho e Pinto, acompanhado por "meia dúzia" de apoiantes, ouviu palavras de incentivo por parte de alguns populares, como o foi o caso de uma mulher que disse gostar muito de o ouvir.

"Ainda vai gostar mais do que vou fazer, porque eu não digo uma coisa e faço outra", respondeu o candidato do PDR.

Marinho e Pinto acusou "PS, PSD/CDS-PP, CDU e Bloco de Esquerda, os partidos que estão no sistema", de fazerem uma "encenação grotesca" e "palhaçada eleitoral" para "distrair" os portugueses "dos problemas fundamentais".

"Esses partidos políticos não discutem a corrupção, nem o tráfico de influências, nem a promiscuidade entre política e negócios", disse, observando que o tema esteve ausente dos debates entre Passos Coelho e António Costa.

"Vão debater o quê? O José Sócrates? Então, e o Miguel Macedo? Vão debater o Armando Vara? Então, e o Dias Loureiro e Oliveira e Costa? Não querem debater isso, querem fingir que tudo isso não existe", insistiu.

O candidato do PDR referiu que, em contrapartida, andam a discutir "quem é que chamou a 'troika'", considerando que se trata de "tentativas, absolutamente primárias, de chamar estúpidos aos eleitores".

"Quem tem responsabilidade por ter vindo a 'troika' foi quem votou na Assembleia da República contra o programa de auxílio da União Europeia. É o PSD, CDS, CDU e Bloco de Esquerda. O outro [PS] pode ter muitos defeitos, mas lutou, até ao fim, para que ela não viesse", defendeu Marinho e Pinto.

Lusa

  • Marinho e Pinto, do PDR, comenta os jornais de hoje
    14:44

    País

    Na revista de imprensa, a SIC Notícias continua a receber os partidos sem representação parlamentar que se candidatam às legislativas de 4 de outubro. Hoje é a vez de Marinho e Pinto, líder do Partido Democrático Republicano e cabeça-de-lista por Coimbra.

  • O BI do PDR
    1:06

    Novo Governo

    O Partido Democrático Republicano apresenta-se como um novo 25 de Abril sem chaimites. Garante que não é um partido de uma só pessoa, mas António Marinho Pinto é o rosto do PDR.

  • Incêndios em Portugal - um mês depois
    9:10

    Reportagem Especial

    Regressar a casa para refazer a vida é tudo o que querem as famílias a quem o fogo levou quase tudo, há cerca de um mês. Contudo, esse regresso não tem sido fácil. Depois dos incêndios, famílias e empresas ainda têm de vencer as burocracias. A Reportagem Especial deste sábado regressa a Seia, onde arderam mais de 70 casas de primeira habitação e onde a vida de muitos parece ter entrado num impasse.

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.