sicnot

Perfil

Novo Governo

PR apela ao voto num momento "crucial" para Portugal

PR apela ao voto num momento "crucial" para Portugal

O Presidente da República apela aos portugueses para não se esquecerem de ir votar este domingo, mesmo se forem ao futebol ou tiverem outros afazeres. Cavaco Silva diz que estas eleições decorrem num momento crucial para o país.

"As eleições de amanhã realizam-se numa altura crucial para o país. Como disse aos portugueses, quando marquei o dia das eleições, todos os atos eleitorais são importantes, mas este ato eleitoral é particularmente importante para o futuro de Portugal", afirmou o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, numa comunicação a propósito das eleições legislativas, que se realizam no domingo.

Insistindo que a escolha que os portugueses vão fazer é determinante para o futuro e que os desafios que se colocam "exigem de todos um grande sentido de responsabilidade", Cavaco Silva lembrou que das eleições de domingo para a Assembleia da República dependerá a formação do novo Governo.

E, acrescentou, "não são admissíveis soluções governativas construídas à margem do Parlamento, dos resultados eleitorais e das forças partidárias".

Na tradicional mensagem que o Presidente da República endereça antes de cada ato eleitoral, Cavaco Silva congratulou-se ainda com o facto da campanha ter decorrido de um modo geral com serenidade, considerando que os portugueses estão agora mais informados e esclarecidos sobre as propostas das forças políticas,

Por isso, sublinhou, no domingo "devem exercer um direito que só existe porque vivemos numa democracia", sendo o voto uma afirmação de liberdade e um instrumento a que não se deve renunciar.

"A abstenção não é solução. Abster-se de votar é desistir do presente e abdicar do futuro. Quem opta pela abstenção, prescinde de ter uma voz ativa e de participar na construção de um Portugal mais desenvolvido e mais justo", disse apelando para que no domingo todos reservem um espaço para o exercício do direito de voto.

"Entre afazeres profissionais, compromissos familiares, assistir a jogos de futebol ou outras atividades desportivas e de lazer, não deixem de incluir a deslocação à secção de voto, entre as 8 da manhã e as 7 da tarde. Não faltem. É isso que vos peço. O futuro do país justifica que todos vão votar, mesmo que o tempo não ajude", frisou.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.