sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Nós, Cidadãos! afirmam que está "criada uma marca" para eleições futuras

O cabeça de lista por Lisboa do partido Nós, Cidadãos! (NC), Mendo Castro Henriques, considera que está criada uma marca que fará o partido crescer em futuros atos eleitorais, face aos resultados já conhecidos.

Lusa

"Temos a convicção que criámos uma marca e que as condições do país vão fazer esta marca crescer em futuros atos eleitorais", disse Mendo Castro Henriques em declarações à Lusa.

Com uma votação provisória em 0,35 por cento e sem perspetiva de eleição de qualquer deputado, o responsável salientou ainda faltarem escrutinar algumas localidades fortes, mas assumindo que os resultados são confortáveis.

"O Nós, Cidadãos! no conjunto de partidos emergentes tem uma situação confortável", justificou.

Mais de 9,6 milhões de eleitores foram hoje chamados a votar para a escolha de 230 deputados à Assembleia da República, resultado que ditará também a escolha de um futuro Governo.

A estas eleições, concorrem 16 forças políticas, das quais três são coligações e as restantes 13 partidos.

Nas coligações, contam-se a Coligação Democrática Unitária (CDU), que junta PCP e PEV, a coligação Portugal à Frente, com PSD e CDS-PP e a coligação Agir, que alia o Movimento Alternativa Socialista (MAS) ao Partido Trabalhista Português (PTP).

Os partidos políticos são o Partido Socialista (PS), Bloco de Esquerda (BE), Livre/Tempo de Avançar, Juntos pelo Povo (JPP), Nós, Cidadãos! (NC), Portugal pro vida, Cidadania e Democracia Cristã (PPV/CDC), Partido da Terra (MPT), Partido Democrático Republicano (PDR), Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP), Partido Nacional Renovador (PNR), Partido Unitário dos Reformados Portugueses (PURP), Partido Popular Monárquico (PPM) e Pessoas-Animais-Natureza (PAN).

Lusa

  • "Não partilhei SMS com ninguém"
    0:43

    Caso CGD

    António Domingues afirma que nunca revelou o conteúdo das mensagens trocadas com o ministro das Finanças sobre a entrega das declarações de património ao Tribunal Constitucional. O tema dos SMS foi abordado pelo ex-presidente da Caixa na sequência de uma pergunta do PCP sobre declarações feitas por António lobo Xavier no programa da SIC Notícias "Quadratura do Círculo".