sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Ferro Rodrigues eleito presidente da Assembleia da República

A maioria de esquerda elegeu Ferro Rodrigues como novo presidente da Assembleia da República, com 120 votos. O candidato apresentado pelo PSD, Fernando Negrão, obteve 108 votos. Houve dois votos em branco.

TIAGO PETINGA/LUSA

Participaram nesta votação, secreta e com o voto depositado em urna, os 230 deputados em funções.

A eleição de Ferro Rodrigues foi recebida com palmas pelas bancadas da esquerda, e aplaudida de pé pelos deputados do PS, com os grupos parlamentares do PSD e do CDS-PP em silêncio.

Os resultados da eleição foram anunciados pelo também socialista Alberto Martins, na qualidade de presidente interino da Assembleia da República, cargo que exerceu nesta primeira reunião plenária, a convite do PSD, conforme a praxe parlamentar, devido à sua idade e experiência como deputado. "Os parabéns da Mesa ao deputado eleito, e parabéns ao senhor deputado que concorreu nesta eleição. Peço ao senhor deputado Eduardo Ferro Rodrigues que tome a direção dos trabalhos, subindo à Mesa", declarou Alberto Martins.

Fernando Negrão candidatou-se a presidente da Assembleia com o apoio de PSD e CDS-PP, que coligados venceram as eleições legislativas e na nova composição do parlamento somam 107 deputados: 89 da bancada social-democrata e 18 da bancada centrista.

Os restantes partidos têm, no total, 123 deputados. O PS, que propôs Ferro Rodrigues para o cargo de presidente da Assembleia da República, tem 86 deputados, o BE tem 19, o PCP 15, o PEV 2 e o PAN 1.

Segundo o Regimento da Assembleia da República, "é eleito presidente da Assembleia o candidato que obtiver a maioria absoluta dos votos dos deputados em efetividade de funções", 116 em 230. Quando nenhum dos candidatos obtém essa votação, procede-se a uma segunda votação.

Com Lusa

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Dijsselbloem não comenta hipótese de ser substituído por Mário Centeno
    2:41

    Mundo

    Jeroen Dijsselbloem diz que cabe ao Governo português avançar com o nome de Mário Centeno para a presidência do Eurogrupo, mas não comenta a sondagem que foi feita ao ministro das Finanças português. Ouvido esta quinta-feira no Parlamento Europeu, o Presidente do Eurogrupo esteve no centro das críticas e reafirmou que não se demite.